Carro elétrico Dacia Spring Eletric

O primeiro carro elétrico Low Cost da Dacia vai custar menos de 10 mil euros

Primeiro carro elétrico da Dacia vai revolucionar o mercado dos veículos elétricos, pois vai custar cerca de 10 mil euros (com subsídios) e terá uma autonomia de cerca de 200 km (ciclo WLPT), o que o torna um excelente citadino!

A Dacia é um subgrupo da Renault, mas pretende-se destacar, para isso, aposta no seu elétrico, e este é esperado que chegue ao mercado em 2021! As primeiras informações apontam para um veículo elétrico simples, robusto e zero emissões de CO2!

Mas o grande trunfo da Dacia é mesmo o seu preço! Por norma os veículos Dacia já são baratos, e apostar nisso no segmento dos elétricos será seguramente o seu maior trunfo.

Carro elétrico Dacia Spring Eletric custará cerca de 10 mil euros

A informação acerca do preço final deste elétrico que vem revolucionar o mercado é muito incoerente. Há sites da especialidade que não arriscam a dar valores, outros indicam que ficará abaixo dos 21 mil euros, e outros a dizer que custará cerca de 10 mil euros!

E será essa mesmo o valor deste elétrico Dacia, contando com subsídios do Governo, sendo o valor “base” projetado em torno dos 15 mil euros!

O Dacia Spring Electric vai assim ser um elétrico para todos os bolsos e tornar-se-á o mais barato de todos no mercado.

De lembrar que a Dacia está no mercado com ofertas sem complexos, eles não tendem a oferecer os melhores acabamentos ou tecnologias mais recentes, na verdade é somente oferecer um carro económico e robusto para ir do ponto A ao ponto B!

Este elétrico irá servir para esse propósito em ambiente citadino! Ir de A ao B sem emissões, simples, sem ruído e com bons resultados de autonomia! Assim se espera que este Dacia elétrico venha a ser o impulsionador de uma revolução no segmento dos elétricos!

Dacia 100% elétrico conta com o apoio da tecnologia Renault

O Dacia Spring, o primeiro elétrico da Dacia, irá contar com estrutura Dacia, mas com tecnologia do Renault K-ZE!

Este Renautl K-ZE foi lançado no mercado chinês, ainda no verão de 2019, sendo alimentado por um motor de 45cv, com 125Nm. Ainda não se sabe as verdadeiras especificações para este novo elétrico, mas a empresa garante que terá uma autonomia de 200 km no ciclo WLPT.

Carro elétrico Dacia Spring EletricCarro elétrico Dacia Spring Eletric Carro elétrico Dacia Spring Eletric Carro elétrico Dacia Spring Eletric

Apresentação ao público do Dacia Spring Eletric

Este carro elétrico deveria ter sido dado a conhecer em Genebra, no tradicional Salão Automóvel, só que devido à Covid-19, acabou por ser cancelado. Mas ainda assim, a Renault quis mostrar o elétrico online.

E espera-se que este venha a ser comercializado na nova gama de elétricos em 2021!

Será assim uma boa aposta tanto para particulares, como para empresas que pretendam obter benefícios fiscais e cujos circuitos sejam citadinos.

Video Dacia Spring Electric

RECOMENDAMOS TAMBÉM...

CONCORDA OU DISCORDA? ESCREVA O SEU COMENTÁRIO

6 COMENTÁRIOS

  1. Os Tesla não têm isso tudo!? Autonomia, velocidade, conforto, etc… claro não é barato! Mas temos que ter em conta diversos factores, como a inovação, por estar no inicio e por estar a desbravar caminho, também enfrenta preconceitos e a industria instalada, além de necessitar de um forte investimento por estar no inicio na produção de novas soluções, como é óbvio esta-se a dirigir inicialmente a um mercado premium que é o mais lucrativo, logo todos esses factores reflecte-se nos custo das propostas da Tesla, portanto não é só devido à bateria, esse questão é cada vez mais um falso problema.
    As baterias são caras em parte devido à forte procura que existe no mercado, quando existir mais oferta do que procura o preço baixa, começado logo pelo preço dos minerais necessários ao seu fabrico, como o litium e o cobalto, a produção em serie das baterias vai ser cada vez maior, veja-se o que aconteceu no mercado das baterias dos telemóveis, elas usam os mesmo componentes e logo que houve quebras nas vendas dos telemóveis o fabrico das baterias abrandou e fez cair preço delas, assim passou a ser dos componentes que menos influencia o preço dos telemóveis, além das baterias demorarem cada vez menos tempo a carregar sem que essas melhorias tenham influenciado negativamente o preço final.
    A restante indústria automóvel tradicional está aflita devido à quebra das vendas das viaturas de combustão e em parte estão a tentar compensar essas quebras com algum exagero no preço das soluções das viaturas eléctricas que apresenta, além dos custos que a mudança de tecnologia acarreta nos seus modelos de negócio.

  2. Deixem-se de conversa, é necessário que apareça uma marca ousada e capaz de destronar os oportunistas do fabricantes das restantes marcas, pois, todos nós sabemos que, no carro elétrico, o motor não custa mais de 50 euros, não precisa de velas, rotores, caixa de velocidade, veios de transmissão,bombas de gasolina ou injectoras, nem sequer precisa travões, nem embraiagem gasta, escapes panelas.
    Com o motor incorporado num ou nos dois eixos desempenha as funções de travão, não precisa de motor de arranca nem tão pouco de dínamo ou alternador. o carro elétrico. o único senão é a bateria ou pilas de litium, o petróleo de Portugal .
    Uma scooter custa 10.000 euros, mas sai das fábricas a 300.

  3. Carro ideal para quem têm um audi Rsturbo 400cv de 2007 na garagem para passear ao fim de semana,e para mamar 15000€,de incentivo do estado e mostrar durante a semana ecológico com carrinho verde sem co2,quanto custará ao ambiente a produção de baterias e depois sua deposição em aterros contaminando solo ,estes carros produzidos com plásticos para se tornarem mais leves para aumento de autonomia,o futuro deve ser em liquidos compostos gpl,gnl,etanol,e celas de helio,etc,estes é que deviam ser apoiados no presente,pois a energia para alimentar estes carros vem de centrais termicas a funcionar a noite quando são carregados 8horas em tarifa bihoraria,falo do que sei.

  4. Esse valor de venda ao público em Portugal não irá durar, é quase certo. Se é veículo para custar 10 mil euros na Europa, Portugal é sempre excepção à regra, logo deverá ser 14 mil, 17 mil, por aí.

  5. Desculpem o meu pessimismo, mas carro que não tenha autonomia de pelo menos de 750 km (em andamento entre 90km e 120km)com uma bateria completa , deixem – se dessa porcaria de fabrico caseiro e publicidade como se tivessem descoberto a pólvora ou a roda.
    Ainda por cima leva hrs a carregar e não garantem substituição por um preço aceitável das mesmas no fim da vida útil. Para trocar a bateria, fica mais cara do que o valor comercial da viatura, desculpem, mas só um otário é que vai nisso.

    • O Tesla não têm isso tudo!? Autonomia, velocidade, conforto, etc… claro não é barato!, Mas é devido a diversos factores, como a sua inovação, por estar no inicio e necessitar de forte investimento na sua produção, também por se dirigir a um mercado premium , portanto não é só devido á bateria, esse questão é cada vez mais um falso problema.
      As baterias são caras em parte devido à forte procura que existe no mercado, quando existir mais oferta do que procura o preço baixa, começado logo pelo preço dos minerais necessários ao seu fabrico, como o litium e o cobalto, a produção em serie das baterias vai ser cada vez mais maior, veja-se o que aconteceu no mercado das baterias dos telemóveis e elas usam os mesmo componentes, logo que houve quebras nas vendas dos telemóveis o fabrico das baterias abrandou e o preço caiu, assim passou a ser dos componentes que menos influencia o preço dos telemóveis, além das baterias demorarem cada vez menos tempo a carregar sem que essas melhorias tenham influenciado negativamente o preço final.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui