Lâmpadas LED e os riscos para a Saúde

No passado dia 1 de setembro de 2018 entrou em vigor a lei que proíbe a comercialização de lâmpadas incandescentes de halogéneo!

A alternativa a essas lâmpadas incandescentes já existe há muito no mercado, são as lâmpadas LED, no entanto, nem todas são aconselháveis de adquirir, pois têm efeitos na saúde das pessoas e animais!

Se pensa comprar lâmpadas LED brancas, primeiro conheça os riscos para a saúde!

As lâmpadas LED brancas são as que mais luz dá, duram mais tempo e ajudam a reduzir os custos da fatura de eletricidade, no entanto têm alguns problemas!

Raul Cerveira Lima, especialistas em poluição luminosa e professor na Escola Superior de Saúde do Instituto Politécnico do Porto diz que apesar de as lâmpadas LED brancas serem vendidas como a grande inovação na iluminação, o certo é que estas tornam a noite cada vez mais em dia!

Além de agravar a poluição luminosa, também acarreta problemas para a saúde das pessoas, bem como na vida de animais e plantas! Pois estas “simula o dia, transformando a paisagem noturna”, diz o especialista.

Mais, estas estão a ser “instaladas sem qualquer ponderação sobre os seus efeitos”, quer para a saúde humana, como para os ecossistemas e ambiente!

Principais Efeitos das Lâmpadas LED Brancas

Raul Cerveira Lima defende que um dos grandes problemas que estas lâmpadas acarretam é a perturbação do sono.

  • A Luz LED branca tem na sua composição um comprimento de onda azul muito pronunciado que agrava, quando comparado com outras luzes, a redução da produção de melatonina. A melatonina é a hormona do sono que vai sendo segregada à medida que o dia escurece!

A privação do sono leva ao aumento do risco de depressão, obesidade, diabetes, bem como potenciar a origem hormonal de cancro (cancro da mama e próstata).

Quanto à biodiversidade, afeta principalmente as aves migratórias, pois com o excesso de iluminação exterior estas podem ficar desorientada e encandeadas com a luz branca.

Há informações de que na Alemanha reduziram a iluminação pública devido à diminuição de insetos, facto “inexplicável só pelo uso de pesticidas”, no entanto as aranhas “beneficiam temporariamente da luz artificial, que atrai presas como os insetos”.

Os pirilampos também são afetados pelas lâmpadas LED brancas, pois estas espécies não conseguem comunicar através da luz fosforescente que emitem naturalmente devido ao excesso de luz artificial, bem como as plantas que deixam de ter o “descanso noturno”.

Uma leitura interessante: Como poupar energia e dinheiro em iluminação

Outros Efeitos das Lâmpadas LED Brancas

Há ainda que contar com o desperdício de energia, bem como o aumento de emissões de dióxido de carbono para a atmosfera, pois nas iluminações de rua “a tendência tem sido pôr mais luz LED branca”, como substituto das lâmpadas de vapor de sódio, pois é uma solução mais económica!

Até mesmo a indústria reconhece parte destes efeitos da luz LED branca, pois há quem já tenha suprimido a componente azul do espetro nos ecrãs de telemóveis e computadores.

Portugal é dos países europeus que mais poluição luminosa tem, e onde esta poluição mais tem crescido. E para esse motivo contribuiu o uso de lâmpadas LED brancas sem qualquer regulamentação que defina os limites para a iluminação excessiva!

RECOMENDAMOS TAMBÉM...

CONCORDA OU DISCORDA? ESCREVA O SEU COMENTÁRIO...