O que deve saber sobre o autoconsumo por painéis solares fotovoltaicos

energia-solar-fotovoltaica

O autoconsumo fotovoltaico está ao dispor de particulares e empresas que pretendam produzir a sua própria energia. Requer a utilização de painéis solares fotovoltaicos para produzir energia e, desta forma, é possível consumir a energia elétrica produzida na sua própria casa ou empresa.

É uma forma de produção de energia limpa e amiga do ambiente, já que apenas passa por aproveitar a energia do sol que entra diariamente pelas nossas janelas. Como o nosso país tem bastantes horas de sol diárias, os painéis solares fotovoltaicos são uma realidade facilmente concretizável.

O autoconsumo fotovoltaico responde às necessidades de quem tem consumos de energia significativos durante o dia.

Em Portugal, o autoconsumo fotovoltaico é regulamentado pelo Decreto-Lei nº 153/2014, de 20 de outubro e as Portaria nº 14/2015 e Portaria nº 15/2015, ambas de 23 de janeiro. Até estas datas, a energia produzida pelos sistemas fotovoltaicos não podia ser utilizada para benefício próprio.

A energia tinha que ser injetada e vendida à rede, obrigatoriamente. Com esta alteração da legislação, cada consumidor pode agora optar por consumir a energia produzida.

O mercado ajustou-se à legislação e disponibiliza atualmente kits fotovoltaicos para autoconsumo modulares. Os kits de autoconsumo apresentados com potências que variam entre 250W e 1500W (kits compostos por 1 a 6 painéis), adaptam-se às necessidades das famílias e das empresas.

Até estas potências não é necessário efetuar qualquer registo nem pagar taxas. Potências maiores obrigam o consumidor a efetuar registo e a pagar a respetiva taxa.

O autoconsumo fotovoltaico pode ter ou não recurso a baterias.

Dúvidas frequentes

  1. O autoconsumo fotovoltaico compensa efetivamente?

Sim! Reduzir a fatura da eletricidade é possível com o autoconsumo fotovoltaico. Beneficia de um maior controlo sobre os seus consumos podendo ajustá-los e redirecioná-los para as horas de sol. Máquinas de lavar roupa, de lavar loiça, sistema de aquecimento, entre outros, podem ser utilizados nas horas em que o sol está mais forte.

Um kit fotovoltaico constituído apenas por um painel fotovoltaico produz cerca de 375 kWh de energia elétrica, por ano. Tendo em conta o custo atual da energia em Portugal e a sua constante subida (3% ao ano, correspondente à inflação, no melhor dos cenários), o retorno é conseguido durante o quinto ano.

Se o kit tiver mais painéis, o tempo de retorno do investimento feito pode acontecer já durante o quarto ano.

As taxas de rentabilidade anuais podem rondar os 20%.

  1. Tenho que pagar alguma taxa?

Sim e não. Depende da potência, como referimos anteriormente. Kits com potências entre 250W e 1500W não exigem registo nem pagamento de taxas. Potências maiores obrigam o consumidor a efetuar registo e a pagar a respetiva taxa.

  1. Posso vender o excedente à rede? O que é necessário?

Pode vender o excedente da sua produção à rede. Para tal necessita de instalar um contador de energia de forma a controlar e contabilizar a energia que é injetada na rede.

  1. Quais são os preços?

Em primeiro lugar, lembre-se que o kit que escolher deve ser proporcional ao seu consumo para obter o retorno do investimento.

Em segundo lugar, os preços variam. Compare e analise os equipamentos de diferentes marcas e as garantias dos fabricantes e escolha equipamentos licenciados para Portugal.