Sujidade painéis solares

Os sistemas solares fotovoltaicos são perfeitos para a produção de energia limpa, no entanto isso não evita que os painéis solares acumulem sujidade e partículas de pó, água e areia. Isto provoca uma redução da luminosidade que incide nas células solares fotovoltaicas, tendo como consequência a diminuição da produção de energia, que em alguns casos e segundo alguns estudos, a redução da produção de energia pode ser na ordem dos 50%.

Assim, torna-se urgente manter os painéis solares limpos. Este problema pode ter agora solução com o projeto SolarSharc da União Europeia. O projeto SolarSharc é baseado em nanotecnologia para manter os painéis solares SEMPRE limpos.

Como é que o SolarSharc mantém os painéis solares limpos?

O projeto SolarSharc teve início em 2017 e está financiado com fundos Europeus e conseguiu desenvolver uma tecnologia de grande repelência que cobre os painéis solares, eliminando assim a sujidade na superfície dos painéis solares fotovoltaicos mantendo a eficiência energética e o rendimento dos painéis solares otimizado.

Um dos sócios do projeto SolarSharc, David Hannan da Opus Materials Technologies, informou:

“o pó e a sujidade dos painéis solares são uma das causas principais responsáveis pelas perdas de produção e pela ineficiência da produção de energia solar, o que supõe uma diminuição da capacidade de produção que em valor representa mais de 40 000 milhões de euros.”

Segundo Hannan, alguns dos inconvenientes dos materiais de auto-limpeza atuais que cobrem os painéis solares têm uma vida útil reduzida (dois ou três anos no máximo), um nível baixo de transparência e um custo elevado (mais de 260 euros o litro).

Anti Reflexo e Resistente a Altas Temperaturas
Anti Reflexo e Resistente a Altas Temperaturas

Isto significa que os materiais de auto-limpeza atuais não representam uma solução rentável, assim a sua taxa de utilização é baixa. As perdas de produção são aceites como sendo o menos impacto económico possível para o funcionamento dos painéis solares.

A estrutura de nano-partículas do projeto SolarSharc pode ser a solução por que muitos esperavam: proporciona uma “grande transparência, o que aumenta em 4% a eficiência da produção de energia e melhora em simultâneo a estética, fator muito importante quando se tem em conta as aplicações arquitetónicas.

Além dessa vantagem a tecnologia SolarSharc possui também as seguintes vantagens:

  • Duração elevada;
  • Função de auto-limpeza e anti-reflexo;
  • Resistente a temperaturas elevadas;
  • Protege contra condições meteorológicas extremas.

Isto tudo somado consegue que mais de 93% da luz solar disponível alcance o semicondutor fotovoltaico.

A película de cobertura híbrida (orgânica e Inorgânica) da tecnologia SolarSharc tem uma espessura de poucos mícrons (μm).

Graças a uma rede de sílica que é unida quimicamente a grupos orgânicos anti-aderentes, o SolarSharc repele com facilidade a água e a sujidade. Ao contrário da água molhar a superfície, as gotas formam pequenas esferas e rolam rapidamente para fora da estrutura. A sujidade sólida, como o pó ou a areia são eliminados facilmente por a simples ação do vento, ou com uma pequena quantidade de água.

Segundo os sócios fundadores do projeto apontam, o produto poderá estar pronto para venda já em 2019.

RECOMENDAMOS TAMBÉM...

CONCORDA OU DISCORDA? ESCREVA O SEU COMENTÁRIO

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

  Subscrever  
Notificação de