Painel Solar Fotovoltaico impresso

O desenvolvimento atual da tecnologia permite grandes inovações tecnológicas praticamente todos os dias. Desta feita, surgiu a notícia de que na Austrália se estão a testar painéis solares fotovoltaicos impressos com recurso a impressoras convencionais.

Se tal for viável, esta passa a ser uma forma simples de apostarmos em energias renováveis. Esta nova tecnologia está a ser testada na Austrália, através de um projeto-piloto, e se os resultados forem bem conseguidos, então o mercado da energia solar será revolucionado!

Quem está por detrás de tamanha tecnologia?

O professor de física Paul Dastoor é o responsável pelo projeto. Paul Dastoor criou um novo tipo de painéis solares fotovoltaicos que podem ser impressos com recurso a impressoras convencionais, o que torna a tecnologia barata de produzir, estimado um custo abaixo de oito euros por metro quadrado!

A tecnologia por detrás…

Estes painéis recorrem a tinta eletrónica impressa em folhas de plástico, sendo que depois estas podem ser instaladas em qualquer lugar. É uma tecnologia que começou a ser desenvolvida ainda durante o ano de 2017, mas só agora está a ser testada numa casa.

A instalação do projeto-piloto comporta um total de 200 metros quadrados deste plástico com tinta eletrónica para produção de energia.

Como ponto negativo, está o facto de esta tecnologia ser menos eficiente que os painéis baseados em silício, e se degradar mais rapidamente. No entanto Dastoor não está muito preocupado com esse facto, assegurando que a pergunta a que interessa responder é: “A pergunta é quanto custa a energia? Estes materiais são tão baratos de produzir e instalar que quando calculamos o custo total da energia, quando fabricamos em massa, este torna-se um produto competitivo”.

Professor Física Paul Dastoor
Professor Física Paul Dastoor

Acredita ainda que se esta tecnologia for bem-sucedida mais empresas irão querer adquirir esta tecnologia, sendo que será tão fácil de a vender como aconteceu com o mercado dos telemóveis!

Projeto-piloto painéis solares impressos…

A instalação dos 200 metros quadrados para este projeto-piloto decorreu num só dia, por cinco funcionários da empresa. Sendo que uma impressora convencional pode produzir centenas de metros num só dia!

Este estudo irá ter a duração de seis meses, com o objetivo de avaliar o desgaste do produto, produção de energia esperada, bem como pontos que se possam melhorar. Tudo para que daqui a um par de anos esta tecnologia esteja disponível no mercado!

O futuro dos painéis solares impressos

Apesar de no início a tecnologia poder não estar tão bem otimizada, e ter um prazo curto de vida, ele acredita que tal como a indústria dos telemóveis, esta tem espaço de progressão e desenvolvimento, com constantes atualizações.

Principalmente porque “O custo de produção é tão baixo e a substituição das células solares por novas é bem fácil e rápido. Assim, com o tempo, a forma como olhamos para a energia solar e respetiva indústria, iremos ter grandes mudanças”.

RECOMENDAMOS TAMBÉM...

CONCORDA OU DISCORDA? ESCREVA O SEU COMENTÁRIO

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

  Subscrever  
Notificação de