Bolsonaro - Impostos sobre Placas Solares

Bolsonaro diz que o seu governo estuda reduzir impostos sobre placas solares

O Brasil é a nona maior economia do mundo e uma potência energética importante no mundo. É o nono produtor de petróleo do mundo, o segundo na categoria de biocombustível e produtor de energia hidroelétrica do mundo e o oitavo maior país em capacidade instalada de energia eólica.

O governo do Brasil está fortemente envolvido no setor de energia: possui metade da maior concessionária de energia elétrica do Brasil, a Electrobras, e metade da companhia de petróleo Petrobras. Como isto pode mudar no governo Bolsonaro.

Bolsonaro e os impostos sobre as placas solares

Uma das principais preocupações com relação à política energética do governo Bolsonaro está em questões ambientais. O Brasil é o sexto maior país em emissão de gases de efeito estufa (GEE) do mundo. Sob o Acordo de Paris, o país prometeu reduzir suas emissões de GEE em 37% até 2025 em relação às emissões de 2005.

O foco tem sido o combate ao desmatamento na Amazónia, o investimento em energias renováveis ​​e a melhor eficiência no setor agrícola.

No entanto, Bolsonaro parece desconsiderar as proteções ambientais. O seu governo planeia reduzir os impostos sobre combustíveis fósseis, afirmando que: “Na formulação dos preços da energia, incluindo combustíveis, há uma forte influência dos impostos estaduais, que deverão ser revistos entre todas as entidades federativas, para não sobrecarregar. o consumidor brasileiro”.

Além disso, Bolsonaro levantou a necessidade de acelerar os processos de licenciamento ambiental, inclusive para novas usinas hidroelétricas na região amazónica.

O plano do governo de Bolsonaro é promover o licenciamento ambiental para pequenas usinas hidroelétricas, prometendo que elas “assegurem que o licenciamento seja avaliado dentro de um período máximo de três meses.”

Se as medidas descritas ao longo deste artigo forem realizadas durante o governo Bolsonaro, haverá consequências locais e globais. O impacto sócio-ambiental negativo dessa política energética prejudicaria as comunidades indígenas e os setores mais pobres da sociedade. E será impossível para o Brasil cumprir com a redução de gases de efeito estufa.

RECOMENDAMOS TAMBÉM...

CONCORDA OU DISCORDA? ESCREVA O SEU COMENTÁRIO

3 COMENTÁRIOS

  1. Vamos parar de criticar nosso atual governo principalmente em relação as questões ambientais. Chega desta falacia em relação as matas e questões indígenas, ondes o interesses são de grupos estrangeiros e poucas ONGs de cunho duvidoso. Esta na hora de vocês pararem de ir na onda da rede globo que ao longo de tantos anos implantou a cultura da desgraça, pobreza, imoralidade e corrupção em seus programas televisivos. Isto demonstra falta de maturidade em suas matérias. É preciso dar credito a este governo que através de equipes técnicas nos ministérios vem realizando bons trabalhos para esta nação, a exemplo da recuperação econômico financeira e estabelecer novamente a ordem, a ética moral e a boa educação a que todos Brasileiros esperam a tanto tempo. Deve ser nossa obrigação ajudar com a manutenção e utilização dos recursos naturais, porem as nações mais desenvolvidas são as que mais depreciaram este planeta e faltam com suas obrigações em restaurar o que foi sequestrados ao longo de centenas de anos e certamente possuem dividas muito maiores para com a natureza deste planeta. Não podemos assumir o ônus causado pelos países desenvolvidos que estão nos obrigando a carregar este fardo criado por eles. Viajem sobre a França e países Europeus e vejam se encontram alguma floresta nativa e depois tirem suas próprias conclusões. Não venham com estas reportagens carimbadas de discursos de esquerda para cima de alguém que esteja olhando para o bem de todos os Brasileiros. Nosso Presidente e toda a equipe que ai esta, merece respeito e que os deixemos trabalhar. Pensem nisto… Não sejamos mais aqueles Brasileiros fantoches da mídia corrupta que comandou este pais por dezenas de anos.

  2. Estamos diante da maior revolução que a humanidade já vivenciou, a disponibilidade de cada residência poder gerar sua própria energia representa e garante ao Brasil um liberdade energética sem precedentes,
    O governo deve zerar os tributos sobre placas e geração residencial, desta forma havera sobra de energia em algumas regiões que poderá ser direcionada para outras localidade, evitando a construção de novas hidrelétricas.
    Todos lembram dos apagoes de alguns anos atrás.

  3. Concordo plenamente. A solar é a energia mais limpa do mundo, silenciosa, segura . Só quem usa pode sentir o fascínio da solar. Infelizmente, os dirigentes dos órgãos que controlam são incompetentes. As concessionarias são gananciosa e aproveitam a ignorância deles .

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui