Irão anuncia construção de nova central nuclear

energia-nuclear-planta

Teerão anunciou neste domingo a construção de uma nova central nuclear e adiantou que não cumprirá as exigências internacionais de não enriquecer urânio a mais de 5%.

“Não há razões para cedermos no enriquecimento a 20% porque produzimos combustível enriquecido a 20% para as nossas necessidades, nem mais nem menos”, disse o responsável pelo programa nuclear iraniano, Fereydoun Abbassi-Davani.

O limite dos 5% foi exigido ao Irão pelos Estados Unidos, Rússia, China, França, Reino Unido e Alemanha, os seis países que protagonizaram as últimas negociações, em Bagdad.

Teerão decidiu ir ainda mais longe e anunciou a construção de uma nova central nuclear, dentro de um ou dois anos, que a agência russa de energia atómica (Rosatom) confirmou à AFP.

“O Irão vai construir no próximo ano uma central nuclear de mil megawatts em Bushehr”, adiantou à televisão estatal o responsável pelo programa nuclear iraniano, sem revelar mais pormenores.

A notícia surgiu no mesmo dia em que o Instituto da Ciência e Segurança Internacional, que tem seguido o programa nuclear iraniano, afirmou, depois de uma análise do último relatório dos inspectores da Agência Internacional de Energia Atómica (AIEA), que o Irão tem urânio suficiente para fabricar cinco bombas nucleares.

Segundo o relatório da AIEA, divulgado um dia depois das negociações em Bagdad, os inspectores nucleares descobriram nas instalações nucleares de Fordo vestígios de urânio enriquecido a níveis que atingem os 27%.

Um nível que mesmo assim está bastante abaixo dos 90% necessários para fabricar uma bomba atómica mas que ultrapassa os 20% declarados pelo Irão, que reitera que o seu programa nuclear se destina a fins não bélicos.

COMPARTILHAR