Energias Renováveis produzem mais de 50% da Electricidade em Portugal

crescimento-energias-renovaveis

As estatísticas rápidas publicadas pela Direcção Geral de Energia e Geologia relativamente às Energias Renováveis em Junho de 2011 revelam que a produção de energia eléctrica a partir de fontes de energia renováveis para efeitos da directiva 2011/77/CE foi 0,7% superior ao valor registado em 2010, 50,2%.

O total da potência instalada renovável atingiu 9 688 MW, no final de Junho de 2011.

O aumento de potência, relativamente a Maio, verificou-se na potência instalada eólica, fotovoltaica e de biogás.

A produção total de energia eléctrica, a partir de FER, regista um decréscimo de 19% no 1º semestre de 2011, relativamente a igual período de 2010. Para este decréscimo continua a contribuir fortemente o comportamento da sua componente hídrica que decresce 28% neste período, continuando a registar-se, em Junho, uma descida acentuada (-40%), relativamente ao mês homólogo do ano anterior.

A produção eólica, no 1º semestre de 2011, decresceu 6% relativamente a igual período do ano anterior, decréscimo menos acentuado do que o registado até Maio, atendendo a que, em Junho, a produção registou um acréscimo de 21% relativamente ao mês homólogo do ano anterior.

A produção a partir de biomassa regista um acréscimo de 12% no 1º semestre de 2011, relativamente ao período homólogo de 2010.

As energias renováveis na produção de electricidade

No final de Junho de 2011, Portugal tinha 9 688 MW de capacidade instalada para produção de energia eléctrica a partir de fontes de energia renováveis (FER). O acréscimo de potência instalada verificado no final do mês de Junho, relativamente a Maio, deveu-se à entrada em funcionamento de uma nova central eólica, duas fotovoltaicas e duas de biogás e ao reforço de potência em quatro das centrais eólicas já existentes.

A incorporação de FER no consumo bruto de energia eléctrica, para efeitos da Directiva*, foi de 50% em 2010. Portugal foi, em 2009, o terceiro país da União Europeia (UE15) com maior incorporação de energias renováveis.

A alteração verificada na posição de Portugal, em 2009, deveu-se ao acréscimo, de cerca de 23%, verificado na produção hídrica e ao acréscimo de 31% na produção eólica, retomando, assim, o lugar ocupado em 2006 e 2007.

A produção de energia eléctrica a partir de FER decresce, acompanhando a evolução da sua componente hídrica (51% da potência instalada em 2010). Comparando a produção registada no 1º semestre de 2011 com a registada em igual período de 2010, verifica-se um decréscimo da produção (14,0 TWh vs 17,3 TWh), enquanto a produção hídrica decresce 28%.

A produção de energia eléctrica a partir de FER está concentrada no Norte, principalmente nos distritos de Viseu, Viana do Castelo, Bragança, Coimbra, V.Real, C.Branco e Braga (1169, 1070, 1064, 984, 958, 688 e 643 MW). Excluindo a grande hídrica, Viseu, Coimbra, C.Branco, V.Real, V.do Castelo, Lisboa, Guarda, Leiria, Braga e Santarém são os principais distritos em termos de potência instalada (919, 717, 578, 578, 405, 391, 335, 244, 202 e 192 MW), correspondendo a potência destes dez distritos a 84% do total, em Junho de 2011.

O sector eólico em PORTUGAL

A potência eólica instalada no final de Junho de 2011 situava-se em 4 120 MW, distribuída por 213 parques, com um total de 2 161 aerogeradores ao longo de todo o território Continental. 36% da potência instalada situa-se em parques com potência igual ou inferior a 25 MW.

A produção, em 2010, situou-se nas 2 476 horas equivalentes por MW, valor substancialmente superior ao registado para 2009. Salienta-se que, para todos os distritos, foram ultrapassadas as 2 000 horas de produção equivalente.

Os distritos com maior potência instalada, em Junho de 2011, são Viseu, C.Branco, Coimbra, V.Real, V.do Castelo, Lisboa, Leiria, Guarda, Santarém e Braga (785, 526, 497, 487, 339, 313, 241, 221, 159 e 148 MW). Os distritos com maior recurso vento, em 2010, foram Santarém, Faro, Guarda, Bragança, Lisboa, Leiria, Beja, V.Real e C.Branco (2927, 2786, 2754, 2730, 2723, 2488, 2457, 2446 e 2437 horas equivalentes).

Licenciamento de renováveis e perspectivas para o sector

Até Junho de 2011 foram já licenciados ~12 734 MW de instalações electroprodutoras a partir de FER (+31% relativamente à potência instalada actualmente).

Em 2003 e 2004 registou-se um aumento muito significativo do licenciamento de parques eólicos (+800 MW/ano.)

Nos três anos seguintes foram licenciados 1 147 MW. Em 2008, 2009 e 2010 foram licenciados 410 MW, 509 MW e 320MW de potência eólica, respectivamente. No 1º semestre de 2011 não se registaram novos licenciamentos.

Até Junho de 2011, foram licenciados 4 549 MW de potência eólica, prevendo-se que até final de 2011 possam estar instalados 4 700 MW de potência eólica no sistema eléctrico nacional.

O total de potência licenciada renovável está concentrado no norte do país, essencialmente devido à localização das grandes hídricas e de um número significativo de parques eólicos. Os distritos de Lisboa, Leiria, Faro, Castelo Branco e Viseu apresentam uma forte componente eólica, superior a 50% da potência renovável desses distritos.

Consultar Relatório Energias Renováveis Junho 2011 completo

COMPARTILHAR