Eletrosul inaugura parque eólico de 258 MW no Rio Grande do Sul

parque eolico geribatu

Empreendimento integra o maior complexo eólico da América Latina.

O Rio Grande do Sul, que já é um dos estados do País com maior capacidade instalada de geração de energia eólica – segundo dados da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), são 1.082 megawatts (MW) em operação – teve um incremento de mais de 30% em sua potência instalada com o início da operação do Parque Eólico Geribatu, inaugurado pela Eletrosul nesta sexta-feira (27).

O parque em Santa Vitória do Palmar, no extremo Sul gaúcho, agregou 258 MW ao Sistema Interligado Nacional (SIN), reforçando a contribuição do Estado para a expansão da eólica na matriz elétrica brasileira. Os empreendimentos entregues – parque eólico e sistemas de transmissão associados – somam R$ 2,1 bilhões em investimentos.

Por se tratarem de importantes obras de geração e transmissão de energia elétrica previstas no Programa de Aceleração do Crescimento (PAC2), a presidenta Dilma Rousseff participou da solenidade de inauguração.

“Com a entrega desse parque, a Eletrosul, junto de parceiros estratégicos, passa a responder por quase 40% da atual capacidade de geração eólica do Rio Grande do Sul”, destacou o presidente da estatal, Eurides Mescolotto, lembrando que outros 144 MW do Complexo Eólico Cerro Chato, em Sant’Ana do Livramento, na fronteira Oeste, também já estão em operação. “A cada megawatt entregue, firmamos ainda mais nossa posição como maior player do mercado eólico do Sul”, acrescentou.

O Parque Eólico Geribatu, com capacidade para atender ao consumo de aproximadamente 1,5 milhão de habitantes, é o maior dos três parques que compõem o Complexo Eólico Campos Neutrais (583 MW) e, também, o maior em operação no Rio Grande do Sul.

A FIP Rio Bravo Energia I é parceira no empreendimento. O parque reúne 129 aerogeradores (2 MW de potência cada), distribuídos em dez usinas, que ocupam uma área de 47,5 quilômetros quadrados. Junto dos outros dois parques – Chuí (144 MW) e Hermenegildo (181 MW), nos quais estão sendo investidos R$ 1,7 bilhão – forma o maior complexo eólico da América Latina, projetando o setor elétrico gaúcho no mercado internacional de energia.

“O Rio Grande do Sul já tem mais de 1 gigawatt (GW) de capacidade instalada de energia eólica em operação, o que equivale a quase 13% de seu parque gerador. Com o desempenho crescente no aproveitamento da fonte, certamente, o Estado teve contribuição efetiva na colocação do Brasil entre as dez maiores potências eólicas do mundo”, destacou o diretor de Engenharia e Operação da Eletrosul, Ronaldo dos Santos Custódio, referindo-se ao levantamento de 2014, do Conselho Global de Energia Eólica (GWEC, na sigla em inglês).

Especialista em energia eólica, o executivo coordenou a atualização do Atlas Eólico do Rio Grande do Sul, lançado no final do ano passado, que apontou potencial de 102,3 GW à altura de 100 metros e de 245,3 GW a 150 metros.

parque-eolico-geribatu

Parque Eólico Geribatu – CRÉDITO FOTO: Vanderlei Tacchio/Divulgação Eletrosul

Sistema de Transmissão

Para escoar a energia dos parques eólicos e integrar a zona Sul do Estado ao Sistema Interligado Nacional (SIN), favorecendo o desenvolvimento do potencial econômico da região, foi implantado um novo sistema de transmissão, que compreende quase 470 quilômetros de linhas de extra-alta tensão (525 kV), três novas subestações (Santa Vitória do Palmar, Marmeleiro e Povo Novo) e a ampliação da Subestação Nova Santa Rita, em um investimento aproximado de R$ 900 milhões.

Esse empreendimento foi viabilizado pela parceria entre Eletrosul e Companhia Estadual de Geração e Transmissão de Energia Elétrica (CEEE-GT), sócias na Transmissora Sul Litorânea de Energia (TSLE).

O trecho Sul desse sistema, com cerca de 200 quilômetros, está escoando a produção do Parque Eólico Geribatu, por meio da conexão na SE Povo Novo com o sistema de alta tensão composto por quase 290 quilômetros de linhas (230 kV) e uma nova subestação, Camaquã 3, pertencente à Transmissora Sul Brasileira de Energia (TSBE) – empresa constituída pela Eletrosul e Copel.

O trecho Norte do sistema da TSLE, com 268 quilômetros de linhas em 525 kV, interligando a SE Povo Novo com a SE Nova Santa Rita, que opera em teste, reforça a conexão ao SIN e garante maior confiabilidade no escoamento da geração eólica do extremo Sul e sua disponibilidade na Região Metropolitana de Porto Alegre.

Novos Empreendimentos

Considerando o crescimento do Rio Grande do Sul e o potencial de geração eólica ainda a ser aproveitado, o Ministério de Minas e Energia (MME) previu novos reforços no sistema de transmissão gaúcho. Foram leiloados em novembro do ano passado mais 2,1 mil quilômetros de linhas em extra-alta (525 kV) e alta tensão (230 kV) e oito novas subestações – empreendimentos arrematados pela Eletrosul, que somam R$ 3,27 bilhões em investimentos.

Parte das linhas compõe o segundo circuito do sistema de transmissão da TSLE entre Santa Vitória do Palmar e Nova Santa Rita. Outra parte, reforça o sistema da região de Sant’Ana do Livramento, onde a Eletrosul está executando obras de ampliação do Complexo Eólico Cerro Chato, com a implantação de mais 72 MW. Ao todo, o complexo terá 216 MW.

FICHA TÉCNICA

Parque Eólico Geribatu

Potência Instalada: 258 MW
Número de Aerogeradores: 129
Área: 47,5 km2
Investimento: R$ 1.061 bilhão
Empregos Gerados: 1,7 mil empregos diretos e indiretos
Parceria: Eletrosul (49%) e FIP Rio Bravo Energia I (51%)

Sistema de Transmissão Associado

Transmissora Sul Litôranea de Energia (TSLE)

– LT 525 kV Povo Novo – Marmeleiro (152 km)
– LT 525 kV Marmeleiro – Santa Vitória do Palmar (48 km)
– SE Povo Novo 525/230 kV (672MVA)
– SE Marmeleiro 525 kV (2 compensadores síncronos de 100MVAr)
– SE Santa Vitória do Palmar 525/138 kV (1 transformador 75MVA)
– Ampliação da SE Nova Santa Rita
– LT 525 kV Nova Santa Rita – Povo Novo (268 km)

Investimento: R$ 900 milhões
Empregos Gerados: 3,8 mil diretos e indiretos
Parceria: Eletrosul (51%) e CEEE-GT (49%)

Transmissora Sul Brasileira de Energia (TSBE)

– LT 230 kV Nova Santa Rita – Camaquã 3 (121 km)
– LT 230 kV Camaquã 3 – Povo Novo (148 km)
– LT 230 kV Camaquã 3 – Quinta 2 (20 km)
– SE Camaquã 3 230/69kV (2 transformadores 83MVA)
– Ampliação da SE Nova Santa Rita
– Ampliação da SE Quinta
– Seccionamento da LT Pelotas 3-Guaíba 2 na SE Camaquã 3

Investimento: R$ 160 milhões
Empregos gerados: 790 diretos e indiretos
Parceria: Eletrosul (80%) e Copel (20%)

COMPARTILHAR