Reaproveitar óleo alimentar usado

A tecnologia EcoX para transformar óleo alimentar usado em detergentes biodegradáveis vence distinção BfK Awards

Inovação centra-se na indústria transformadora de produtos alimentares em fim de vida, em concreto na valorização do óleo alimentar, promovendo um conceito de economia circular

Tecnologia diferenciadora que permite obter produtos líquidos estáveis e de PH controlado o que facilita a formulação de vários produtos de limpeza biodegradáveis e vegan

A tecnologia EcoX

O projeto de biotecnologia EcoX foi distinguido, ontem, com o prémio Born from Knowledge (BfK) Awards, atribuído pela Agência Nacional de Inovação (ANI), no âmbito da 9ª Edição do Prémio Empreendedorismo e Inovação Crédito Agrícola.

A tecnologia foi desenvolvida pela Ecoxperience, uma spin off da Universidade de Coimbra, e tem como mais-valia a formulação de diversos produtos de limpeza, nomeadamente detergentes, que para além de 100% biodegradáveis e vegan, assentam num modelo de negócio baseado na economia circular.

Reaproveitar óleo alimentar usado

O conceito valoriza um resíduo, o óleo alimentar usado, que provoca graves danos nas nossas casas, na rede pública, nos solos, nos meios aquáticos e clima. Um litro de óleo alimentar usado é suficiente para contaminar um milhão de litros de água, quantidade suficiente para a sobrevivência de uma pessoa durante 40 anos, segundo dados da associação ambientalista Quercus.

Reaproveitar produtos que já tiveram outra vida e que são transformados em valor acrescentado é a filosofia que está na base da transformação do óleo alimentar usado em detergentes ecológicos, uma ideia única a nível mundial.

O EcoX permite reduzir em 50% a extração de recursos naturais para produzir os mais diversos produtos de limpeza, que apesar de comprovadamente seguros não foram testados em animais. Os óleos alimentares não devem ser deitados no ralo da pia ou sanita, mas encaminhados para sistemas de recolha adequados.

Com projetos ecológicos como o EcoX contribui-se para a consciencialização desta problemática e recolha tanto na rede pública como nos oleões colocados nas lojas parceiras. As soluções desenvolvidas já testadas em laboratório permitem que possam ser utilizados diferentes óleos como o vegetal, de amendoim, girassol, soja, de milho e azeite.

A reutilização das embalagens EcoX através da venda a granel nas lojas parceiras é outra das vantagens, na medida em que reduz significativamente a produção dos resíduos relacionados com as embalagens de plástico.

O granel surge também como um fator de prevenção da produção de “lixo”, permitindo aos consumidores escolher a quantidade de produto de que precisam, abdicando de quantidades pré-definidas e que nem sempre correspondem às necessidades individuais ou familiares.

O projeto criou uma embalagem com 50% de plástico reciclado para que possa ser reutilizada vezes sem conta poupando na carteira do consumidor e protegendo o ambiente. As embalagens depois de usadas são higienizadas, qualificadas, voltam a ser cheias e colocadas no mercado.

“Este projeto cria impacto em diversos níveis, como a diminuição do uso de embalagens, o incentivo à reciclagem do óleo alimentar usado, maior acesso à informação e contribuição para sensibilizar os consumidores de modo a provocar mudanças comportamentais que se traduzem num estilo de vida mais sustentável no âmbito social, ambiental e económico. É com grande orgulho que a Agência Nacional de Inovação distingue projetos que contribuem para um futuro melhor”, sublinha João Borga, administrador da ANI.

Os números da Ecoxperience mostram o alcance deste produto inovador que já permitiu reciclar 24.000 litros de óleo alimentar usado e evitar o uso de 113 882 embalagens single-use. O detergente ecológico é comercializado em 200 pontos de venda e já foram comercializadas 257 toneladas essencialmente a granel.

RECOMENDAMOS TAMBÉM...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui