Serviço inovador de autoconsumo com painéis solares remotos

Autoconsumo Solar Remoto

Dois terços dos habitantes deste país vivem em prédios de apartamentos, o que significa que não possuem telhados próprios para instalar painéis solares, para possibilitar que estes consumidores possuam uma instalação de autoconsumo foi lançado em Espanha a opção de autoconsumo remoto. Saiba tudo neste artigo.

O que é o Autoconsumo Remoto?

Além disso, mesmo quando tecnicamente viável, muitas vezes é difícil implementar um sistema de autoconsumo solar devido aos desafios de se alcançar acordos com a comunidade de moradores.

Para superar essa barreira potencial, a entidade Comunidad Solar criou o serviço de “autoconsumo remoto”, uma alternativa ideal de autoconsumo para residentes de apartamentos e espaços comerciais sem telhado próprio.

A Comunidad Solar cuida de tudo. Primeiro, eles garantem financiamento para desenvolver uma instalação de produção de energia renovável; depois, desenvolvem e lançam a instalação (por exemplo, um parque solar em Murcia ou uma pequena central hidroelétrica em Palencia); e, finalmente, vendem assinaturas de “autoconsumo remoto”, a única opção de autoconsumo para aqueles que não têm telhado próprio ou que vivem em imóveis alugados.

Atualmente, a Comunidad Solar opera dois parques solares em Murcia e uma central hidroelétrica no rio Pisuerga (Palencia). O parque solar Fuente Álamo 1 possui 2.240 painéis solares de 540 watts cada; o parque solar Fuente Álamo 2 tem 1.903 painéis solares de 540 W cada (totalizando 2,3 megawatts); e a central hidrelétrica do rio Pisuerga (Palencia) tem uma capacidade de 500 quilowatts (500 kW), equivalente a 5.000 turbinas de 100 watts (100 W).

Como funciona o modelo do autoconsumo remoto da Comunidad Solar

Os usuários do serviço de autoconsumo remoto da Comunidad Solar contratam “unidades de mix energético”. Uma unidade de mix energético consiste em um painel solar de 540 watts + uma turbina de 100 watts.

Cada unidade de mix energético custa 1.141,9 euros e, em média, uma residência precisaria investir em 4 unidades (4.567,60 euros no total) para cobrir o consumo da casa. “Você pode pagar com financiamento ou à vista, e o investimento é amortizado em cerca de 6 anos”, garantem.

O membro não pagará um centavo pela eletricidade, segundo a Comunidad Solar. Eles pagarão apenas as taxas e impostos incluídos na conta. O autoconsumo remoto permite reduzir a conta de luz em média em 70%, o que é “equivalente ao custo da energia; os 30% restantes da conta correspondem a custos regulados pelo estado, como tarifas de distribuição e potência”.

Autoconsumo Solar Remoto - Fonte: Comunidad Solar
Autoconsumo Solar Remoto – Fonte: Comunidad Solar

A Comunidad Solar não lucra com a comercialização de energia ou qualquer outro conceito. Eles apenas obtêm uma margem com a venda dos mixes energéticos, margem que reinvestem para desenvolver novas instalações.

Se a produção energética dos painéis de um membro exceder o consumo de sua residência, a Comunidad Solar venderá essa eletricidade no mercado. Os rendimentos serão depositados na carteira virtual do usuário para ajudar a pagar futuras contas de eletricidade.

Se o membro precisar de mais eletricidade do que seu mix produz, a Comunidad Solar fornecerá essa energia “a preço de mercado, sem nenhuma margem comercial”.

A Comunidad Solar cede os direitos de produção dos painéis contratados ao usuário e, se o membro quiser mudar de comercializadora no futuro, pode levar seus direitos de produção com ele. O membro também tem o direito de vender seus direitos a um terceiro.

Toda a eletricidade gerada pelas unidades contratadas por um membro é propriedade do usuário por 30 anos (a vida útil dos painéis), e a Comunidad Solar, que também é uma comercializadora de energia, fornecerá essa eletricidade ao usuário a um preço de zero euros.

Todos os parques possuem seguros e equipas de manutenção. Isso é financiado por uma taxa mensal de 1,5 euros por painel, que será paga com a fatura mensal.

A Comunidad Solar, cujo serviço de “autoconsumo remoto” já foi adotado por mais de 900 famílias em toda a Espanha, deseja continuar crescendo.

Eles já estão trabalhando na expansão de sua capacidade de produção de energia remota com duas novas instalações: o parque solar Talavera de la Reina (que contará com 11.041 painéis de 540 W) e um parque eólico com dois aerogeradores (2,2 megawatts) a serem comercializados em unidades de turbinas de 220 W.

Para isso, associaram-se à Goparity, a plataforma de finanças sustentáveis que recentemente anunciou o lançamento de uma campanha de crowdfunding (objetivo de 600.000 euros, ampliável para 800.000 euros) para financiar os projetos de “autoconsumo remoto” da Comunidad Solar.

A Goparity anunciou que já alcançou o objetivo de 800.000 euros, marcando a campanha mais ambiciosa que a empresa portuguesa já empreendeu desde sua fundação em 2017.

A campanha oferece aos pequenos investidores um retorno de 6,3% ao ano. Segundo a Goparity, qualquer pessoa pode investir através da plataforma com contribuições a partir de cinco euros. O objetivo é financiar novas instalações de energia renovável, o primeiro passo para comercializar essa energia verde através do autoconsumo remoto.

Vídeo – Autoconsumo Remoto: A revolução energética

Alguém conhece um serviço semelhante à disposição em Portugal?

Deixe um Comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Rolar para cima