Reduzir custos da energia solar em 60% é um objetivo ambicioso dos EUA, para ser atingido até 2030.

Reduzir custos da energia solar em 60% é objetivo até 2030

Reduzir custos da energia solar em 60% é um objetivo ambicioso dos EUA, que pretendem atingir tal meta até 2030, altura em que o kWh estará a cerca de 2 centavos!

Objetivo que foi fixado pelo Departamento de Energia dos EUA (DoE), para os próximos 10 anos. Para isso, vai investir cerca de 128 milhões de dólares para reduzir custos da energia solar, melhorar o rendimento de painéis solares e acelerar o desenvolvimento de noutras tecnologias de energia solar.

Investimento que irá apoiar as metas climáticas do Governo Biden-Harris, bem como abrir o caminho para a descarbonização acessível do sistema de energia do país, bem como dar os alicerces para uma economia sólida de energia limpa.

O DoE pretende mesmo que daqui a 5 anos, ou seja, até 2025 o custo da energia solar esteja nos três centavos/kWh e em 2030 baixe até aos dois centavos/kWh, contrapondo contra os atuais 4,6 centavos/kWh!

Jennifer Granholm, Secretária de Energia dos EUA, esclareceu “em muitas partes do país, a energia solar já é mais barata que o carvão e outros combustíveis fósseis, e ao apostarmos no desenvolvimento poderemos reduzir ainda mais o custo da energia, para mais de metade, daqui a uma década. Os financiamentos vão ajudar-nos a conseguir energia limpa mais acessível para a rede, empregos para as comunidades de todo o país, além de que nos vai deixar mais próximos do objetivo do Presidente Biden de consumirmos 100% de eletricidade limpa em 2035!”.

Reduzir custos da energia solar em 60% é um objetivo ambicioso dos EUA, para ser atingido até 2030.

Aplicação do financiamento para reduzir custos da energia solar

O novo financiamento, através do Departamento de Tecnologias de Energia Solar do DoE vai apoiar o desenvolvimento de dois materiais utilizados para fabricar células solares: perovskita e películas finas de teluro de cádmio (CdTe). Sendo que o DoE disponibilizou mais de 40 milhões de dólares para 22 projetos de I+D de perovskita!

O objetivo passa por promover a investigação e desenvolvimento de dispositivos fotovoltaicos de perovskita e a sua produção, bem como melhorar o rendimento destes, através da criação de um novo centro de testes de 14 milhões de dólares para garantir uma validação neutra e independente do rendimento dos novos dispositivos de perovskita!

Outros 20 milhões de dólares serão adjudicados ao Laboratório Nacional de Energia Renovável (NREL) que irá estabelecer um consórcio para promover tecnologias solares de películas finas de CdTe mais baratas!

O consórcio vai promover técnicas de produção de baixo custo e desenvolver novas capacidades de investigação nacionais para aumentar as oportunidades para que os trabalhadores e empresários norte-americanos consigam uma maior porção do setor de produção solar global de 60 000 milhões de dólares”, disse o DoE.

O DoE anunciou ainda mais 7 milhões de dólares como parte de um novo financiamento para projetos que aumentem a vida útil dos sistemas fotovoltaicos de silício, para que tenham uma vida útil de 30 a 50 anos!

O objetivo passa por reduzir custos da energia solar melhorando os componentes do sistema fotovoltaico, como inversores, ligadores, cabos, painéis e outros.

Parte do financiamento também está destinado à promoção de projetos de energia termossolar concentrada (CSP), com cerca de 33 milhões de dólares para adiantamentos de CSP e 25 milhões de dólares para demonstrar a próxima geração de novas fábricas de CSP.

RECOMENDAMOS TAMBÉM...

CONCORDA OU DISCORDA? ESCREVA O SEU COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui