Parque Híbrido Solar+Eólica - Mina Orgueirel

Central solar fotovoltaica instalada junto ao parque eólico de Mosteiro permite criar primeiro projeto híbrido de energia eólica e solar da EDP Renováveis e aumentar a produção de energia limpa.

Primeiro parque híbrido da Península Ibérica – Mina de Orgueirel

Projeto fotovoltaico Mina de Orgueirel está instalado no concelho do Sabugal e adiciona 8,4 MW ao complexo, permitindo aumentar a produção de energia renovável para mais de 39 GWh/ano.

A EDP Renováveis acaba de ligar à rede o seu primeiro projeto híbrido a nível global que combina a produção de energia eólica e solar num único local. Este é também o primeiro parque da Península Ibérica a juntar as duas tecnologias, dando um contributo adicional para a descarbonização e para o aumento de energia renovável na rede elétrica.

A central solar fotovoltaica Mina de Orgueirel foi instalada no concelho do Sabugal, em Portugal, junto ao Parque Eólico de Mosteiro, interligando diretamente com a sua subestação, aproveitando as infraestruturas elétricas existentes e criando assim um complexo híbrido de produção de eletricidade.

O novo projeto solar tem uma capacidade instalada de 8,4 MW e cerca de 17 mil painéis solares fotovoltaicos bifaciais, uma tecnologia que permite aproveitar a irradiação solar de ambos os lados do painel, maximizando a produção renovável.

Já o parque eólico conta com oito aerogeradores e uma capacidade instalada total de 11 MW e já inclui uma turbina mais potente instalada no âmbito de um projeto de sobreequipamento. Desde que entrou em produção em 2004, o parque eólico já produziu mais de 350 GWh de energia limpa.

Em conjunto, este projeto de hibridização poderá produzir 39,5 GWh/ano, o suficiente para fornecer mais de 30 mil pessoas com energia renovável durante um ano.

Este complexo híbrido vai também evitar a emissão de cerca de 18 mil toneladas de CO2 anualmente.

Novos parques híbridos solar e eólica

“Colocar em operação o primeiro parque híbrido eólico/solar da EDPR é um reflexo do nosso carácter pioneiro e inovador, bem como do firme compromisso com a transição energética das nossas principais geografias. Através desta hibridização, aumentamos a produção elétrica da região e minimizamos o impacto de novos projetos renováveis, através do uso de infraestruturas existentes. Continuaremos a investir na hibridização de parques do nosso portefólio, tanto no mercado português como noutros com grande potencial de desenvolvimento”, destaca Duarte Bello, administrador executivo da empresa para a Europa e América Latina.

A hibridização de ativos existentes, através da conjugação de tecnologias como a eólica, a solar e a hídrica, é uma das principais vias de crescimento das energias renováveis, com vários benefícios para o setor: aumento da eficiência dos projetos, utilização e partilha de infraestruturas elétricas já existentes, promoção da estabilidade de custos e redução do impacto ambiental.

A EDP tem neste momento em estudo ou desenvolvimento mais de 1600 MW em projetos híbridos em Portugal e Espanha nestas tecnologias, com diferentes fases de maturidade e com previsão de entrada em operação ao longo dos próximos anos.

A empresa pretende continuar a apostar em projetos semelhantes em todas as suas geografias e está já a desenvolvê-los na América do Norte, América do Sul e em algumas outras regiões da Europa como Polónia, Itália e Grécia.

RECOMENDAMOS TAMBÉM...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui