Gerador Termoelétrico

Este dispositivo anti-solar aproveita a energia do céu para gerar eletricidade no escuro

O novo dispositivo apelidado de painel anti-solar, capta energia do céu noturno frio. Ao aproveitar a diferença de temperatura entre a Terra e o espaço, um protótipo do dispositivo produziu eletricidade suficiente à noite para alimentar uma pequena luz LED.

Uma versão maior deste gerador pode um dia iluminar residências familiares, carregar telemóveis ou alimentar outros aparelhos electrónicos em áreas com poucos recursos que precisam de eletricidade à noite quando os painéis solares fotovoltaicos não conseguem produzir energia, relataram pesquisadores na revista Joule, dia 12 de setembro.

O dispositivo é baseado num gerador termoelétrico, que produz eletricidade quando um lado do gerador é mais frio que o outro.

Como é possível produzir eletricidade?

O lado voltado para o céu do gerador é anexado a uma placa de alumínio selada sob uma tampa transparente e cercada com isolamento para impedir o aquecimento.

Esquema gerador Anti-Solar
Esquema gerador Anti-Solar

Essa placa permanece mais fria que o ar ambiente, libertando calor que é absorvido como radiação infravermelha. Essa radiação pode atravessar a cobertura transparente e a atmosfera em direção à pia fria do espaço sideral.

Enquanto isso, a parte inferior do gerador é conectada a uma placa de alumínio exposta que é continuamente aquecida pelo ar ambiente. À noite, quando não estiver sob o sol, a placa superior pode ficar alguns graus Celsius mais fria que a parte inferior do gerador.

O engenheiro Wei Li, da Universidade de Stanford, e os seus colegas testaram um protótipo de 20 centímetros do dispositivo numa noite de dezembro em Stanford, Califórnia.

O gerador produziu cerca de 25 miliwatts de energia por metro quadrado de dispositivo – o suficiente para acender uma pequena luz ou lâmpada LED. A equipa estima que outras melhorias no projeto, como melhor isolamento ao redor da placa superior fria, poderiam aumentar a produção em até pelo menos 0,5 watts por metro quadrado.

Uma lâmpada típica pode consumir alguns watts de eletricidade, diz Shanhui Fan, engenheiro elétrico da Universidade de Stanford que trabalhou no dispositivo. Portanto, um dispositivo que ocupasse alguns metros quadrados de espaço no telhado poderia iluminar uma sala com energia do céu noturno.

Aaswath Raman, cientista de materiais e engenheiro da UCLA, também prevê o uso do gerador de sua equipe para ajudar a alimentar estações meteorológicas remotas ou outros sensores ambientais. Isso pode ser especialmente útil em regiões polares que não vêm a luz do sol há meses, diz Raman.

Saiba mais sobre o protótipo do gerador termoelétrico.

RECOMENDAMOS TAMBÉM...

CONCORDA OU DISCORDA? ESCREVA O SEU COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui