Célula Painel Solar Fotovoltaico

Painéis solares fotovoltaicos podem produzir o dobro da energia elétrica? A resposta é Sim, é mesmo possível.

Uma nova tecnologia, ou melhor, um novo material desenvolvido na indústria das energias renováveis, mais propriamente no setor da energia solar vai permitir criar painéis solares fotovoltaicos que conseguem gerar o dobro da energia elétrica, aumentando assim a sua eficiência de forma bastante interessante!

O objetivo da indústria das energias renováveis é tornar os seus painéis solares cada vez mais baratos e mais eficientes. O intuito é termos uma fonte de energia que permite substituir de forma permanente os tradicionais combustíveis fósseis!

Estudos para melhorar geração de energia por parte dos painéis solares…

Os vários estudos que têm surgido têm-se centrado no uso de novos materiais, como o material perokvskita a ser usado como base nos vários estudos, especialmente por parte de uma Universidade Japonesa!

Depois dessa universidade japonesa, foi a vez da famosa UCLA testar este material para bater criar a célula fotovoltaica mais eficiente do mundo!

Assim, o grupo de cientistas criou uma película que permite que as células fotovoltaicas dos painéis solares atinjam uma eficiência de 22,4 por cento, duplicando o recorde anterior que era de 10,9 por cento, que data a 2015!

O material usado, a perovskita, é feita de chumbo e iodo, tendo sido pulverizada sobre uma célula de vidro e uma camada de CIGS (composto com cobre, índio, gálio e selénio), sendo que tal combinação permite uma maior conversão, e mais eficaz, da luz solar em eletricidade utilizável!

Yang Yang, professor de ciência de materiais da UCLA, explica “o design da nossa célula permite extrair energia de duas partes distintas do espetro de luz solar, a partir da mesma área de absorção. É mais energia do que íamos conseguir só com a camada de CIGS”.

Anterior a camada de dois mícrones de CIGS já permitia uma eficiência energética de 18,7 por cento, mas com a nova camada de um mícron, à base de perovskita, esta funciona como um turbocompressor de um motor automóvel, aumentando a voltagem da célula e como tal a sua produção de energia utilizável!

Mas os investigadores não estão satisfeitos com este recorde de eficiência e querem mais! Yang deseja comprovar que “o nosso design de dupla camada pode aproximar-se dos 30 por cento de conversão de luz solar em energia, e esse vai ser o nosso próximo objetivo”.

Se tal tecnologia for viável e aumentar ainda mais a produção de energia elétrica, então é expectável que a mesma possa vir a ser aplicar em vidros de casas durante a construção das mesmas.

RECOMENDAMOS TAMBÉM...

CONCORDA OU DISCORDA? ESCREVA O SEU COMENTÁRIO

1
DEIXE O SEU COMENTÁRIO

1 Comentários da discussão
0 Respostas aos comentários
1 Seguidores
 
Comentário mais ativo
Discussão mais ativa
1 Comentários dos autores
  Subscrever  
mais recente mais antigo mais votado
Notificação de
Humberto

Acredito que se colocar espelhos refletores adjacentes às placas, automatizados (acompanhar o giro do sol e refletir nas placas), isso pode dobrar a eficiência e diminuir os custos com placas, vez que o espelho é bem mais barato que a placa.