Parque eólico - Energia Eólica

Muitos defensores da energia eólica, incluindo o atual presidente (dos Estados Unidos) Barack Obama, apontam para a Europa como um exemplo de como bem-sucedida uma indústria de energia eólica pode ser.

Mas na realidade estará a energia eólica a ser benéfica para a Europa?

A Alemanha lidera a Europa como o país número um da uma energia eólica com 27.214 MW de capacidade instalada. A energia eólica na Alemanha gerou 37,3 TWh de eletricidade em 2010, que representaram 6,2% do consumo de energia do país.

Esses números indicam o sucesso para a indústria eólica na Alemanha, mas a que custo? O subsídio principal para a energia eólica na Alemanha é conhecido como a tarifa feed-in.

Tem fornecido para a indústria tarifas protecionistas e acesso à rede (elétrica) com prioridade, a fim de estimular e manter a sua proeminência na Alemanha. Segundo o Instituto de Pesquisa de Energia, o apoio do governo alemão para a indústria de energia eólica entre 2000 e 2010 um custo pesado de 28,1 bilhões dólares .

Em 2010, a Grã-Bretanha foi o lar de mais de 270 parques eólicos com 2.775 aerogeradores em operação e os planos para a construção de mais 10.000. Mas de acordo com Ofgem , o regulador de energia na Grã-Bretanha, os subsídios anuais para a energia verde já passaram de £ 278.000.000 em 2002-3 para £ 1.04 bilhões , ou mais de US $ 1,56 bilhões.

O subsídio dado principal para a energia verde, com a energia eólica a receber os maiores benefícios, é conhecida como Obrigações Renováveis (RO). A RO exige uma percentagem fixa de poder ser produzido a partir de energias renováveis.

Muitos estados dos EUA têm exigências semelhantes conhecidas como Renewable Portfolio Standards.

Dr. John Constable, diretor de política e pesquisa da Renewable Energy Foundation (REF), um think tank de energia verde, tem admitido ao The Telegraph que “os planos do Governo para a energia eólica são extremamente irrealistas.

A energia eólica vai ser muito cara, muito difícil e, finalmente, muito dispendiosa ” O professor Ian Fells, emérito de conversão de energia na Universidade de Newcastle upon Tyne, concorda: “Subsidiar parques eólicos é muito caro, e o dinheiro poderia ser melhor aplicado investindo em outras formas de energia. ”

A Espanha está passando por uma reação semelhante, como resultado dos subsídios da energia eólica. Em 2008, a energia eólica, gerou 10,2 por cento do consumo elétrico do país, mas a procura por eletricidade caiu significativamente desde que a crise financeira global chegou.

O déficit da Espanha, sistema de eletricidade é agora superior a € 24 bilhões, ou US $ 30 bilhões por causa dos subsídios do governo.

Em outras palavras, o preço final pago pelos compradores de energia elétrica, grandes e pequenos, tem sido mantido artificialmente baixo, em uma tentativa equivocada, sem dúvida para conter a inflação, proteger os consumidores e manter a competitividade da indústria espanhola.

energia, eolica, financiamento, eneop, portugal

Isso colocou o sistema elétrico todo espanhol em rota de colisão com a realidade económica, e fez um crescente deficit tarifário quase-inevitável.

O custo dos subsídios da energia eólica estão prejudicando não só os contribuintes, mas as empresas e os consumidores também. Em muitos países europeus, como Espanha e Inglaterra, os fornecedores de energia devem adquirir uma certa quantidade de eletricidade produzida pela energia verde por megawatt-hora que passa a ser mais cara do que a energia de combustível fóssil tradicional. Este requisito é semelhante ao discutido acima conhecido como renawable portfolio standards nos Estados Unidos.

Os fornecedores de energia passam esse custo para as empresas, elevando os preços para os consumidores e tornando mais difícil para as empresas de permanecer no negócio. Este ciclo tem o efeito de lentamente sufocar a economia local.

Os programas governamentais da energia eólica financiados em toda a Europa são ainda mais caros quando a perda de emprego devido à expansão da indústria de energia eólica é adicionada.

Um estudo concluído na Espanha pela Universidad Rey Juan Carlos concluiu que, para cada megawatt de energia eólica instalada, 4,27 empregos foram perdidos no resto da economia espanhola.

Os subsídios governamentais para a indústria de energia eólica não são apenas ruins para os Estados Unidos, mas ruins em uma escala global. Além de custar aos contribuintes em todo o mundo, bilhões e bilhões de dólares, ferem as economias locais, destruindo postos de trabalho e elevando o custo de fazer negócios.

A indústria eólica apoiada pelo governo está desapontando as pessoas da Europa e ao povo da América. É hora de deixar a indústria eólica sobreviver sem ajuda do governo.

Vamos permitir que o seu destino seja determinado pelos consumidores individuais que conhecem suas próprias necessidades melhor do que qualquer governo poderia conhecer.

RECOMENDAMOS TAMBÉM...

CONCORDA OU DISCORDA? ESCREVA O SEU COMENTÁRIO

4
DEIXE O SEU COMENTÁRIO

3 Comentários da discussão
1 Respostas aos comentários
0 Seguidores
 
Comentário mais ativo
Discussão mais ativa
4 Comentários dos autores
  Subscrever  
mais recente mais antigo mais votado
Notificação de
António

Visão 'com palas' totalmente dirigida aos pontos negativos. Fala da redução de 4,27 postos de trabalho por MW (que estudo 'credível' foi esse?). E os postos criados por MW instalado? E o impacto positivo nos donos dos terrenos, nas câmaras (que recebem parte do dinheiro), no estado(impostos), nas empresas instaladoras, de obras e transportes. E o grande impacto que ainda não vi ser comentado, na redução dos preços do petróleo e gás, devido à substituição de parte dos consumos na produção elétrica? E os subsídios bilionários que são distribuídos às petrolíferas e quase todos desconhecem (Obama descobriu 1 subs. anual… Read more »

Claudio Bicudo Mendonça

Na verdade esta matéria não leva em consideração as externalidades positivas trazidas pelo subsídio à energia eólica. Os prejuízos na saúde publica, por exemplo, ocasionados pela poluição gerada pelas fontes fósseis deixarão de existir. Os efeitos das mudanças climáticas, que já resultam em prejuízos ainda maiores, como a seca na Califórnia, serão reduzidos. Os subsídios não podem ser eternos. Mas são importantes para que o desenvolvimento de novas tecnologias torne esta fonte economicamente viável por conta própria. As externalidades positivas e negativas de cada fonte precisam ser consideradas. Considero esta matéria muito reducionista. É preciso ter uma visão holística sobre… Read more »

João Carlos de Rezende

Olá,
Concordo plenamente que a economia deve seguir seu caminho sozinha sem os subsídios do governo mas, eu não entendi como a energia eólica provoca desemprego. Porque estes 4,27 postos de trabalho por megawatts. Não entendi; se alguém puder me explicar eu agradeço.

Julio Augusto

@João Carlos de Rezende, Pelo o que eu entendi o dinheiro destinado a subsidiar a energia eólica (que é bem mais cara que outras fontes de energia) poderia ser utilizado em outras fontes mais eficiente e baratas de criação de energia. Com energia barata a competitividade da indústria local aumenta. O problema é o fato da energia eólica ser mais cara do que outras fontes de energia e precisa de subsídios para ser vendida a um preço mais baixo. Basta o governo espanhol diminui o subsídio a energia eólica que o preço da energia aumente e com isso diminui a… Read more »