Carros Elétricos - Sistema AVAS

Os novos carros elétricos fabricados a partir de 1 de Julho terão que fazer barulho por lei na Europa.

O debate sobre se os carros elétricos deveriam ou não fazer barulho foi aberto há alguns anos, quando alguns dos primeiros modelos modernos começaram a chegar ao mercado, mas os legisladores da União Europeia foram claros desde o início. Na verdade, todos os carros elétricos terão que emitir ruído por lei.

Todos os novos carros híbridos e elétricos devem equipar a partir do primeiro dia de julho de 2019 sistemas AVAS (Acoustic Vehicle Alerting System) ou SAAV (Acoustic Vehicle Warning System), ou seja, geradores de aviso acústico para anunciar a sua presença aos pedestres, ciclistas e outros utentes da estrada.

Esta nova lei afetará todos os veículos elétricos puros e híbridos que são comercializados em diferentes países da União Europeia, e os sistemas AVAS mencionados acima devem ser ativados automaticamente desde o início até uma velocidade de 20 quilómetros por hora e também quando o veículo está em marcha à trás.

Os veículos dos modelos já existentes sejam obrigados a transportar esses sistemas AVAS a partir de 1º de julho de 2021.

A lei europeia especifica alguns requisitos em termos de intensidade sonora: deve exceder 56 decibéis (equivalente a uma conversa normal) e não deve exceder 75 decibéis, que é o nível normal de um carro com um motor de combustão.

Sistema AVAS (Acoustic Vehicle Alerting System) - Carros Elétricos
Sistema AVAS (Acoustic Vehicle Alerting System) – Carros Elétricos

Além disso, o ruído deve ser contínuo, semelhante ao de um veículo com motor de combustão interna e “indicativo do comportamento do veículo”, isto é, com variações dependendo da velocidade do mesmo.

No caso de veículos híbridos que tenham um motor de combustão interna, o AVAS não terá que gerar qualquer tipo de som quando a hélice térmica estiver em operação (e, portanto, fazendo barulho).

Qual a razão para os carros elétricos terem de emitir ruído?

Provavelmente uma das poucas vantagens do ruído emitido pelos carros de combustão (que contribuem, por exemplo, para a poluição sonora nas cidades), é o fato de que outros usuários, como pedestres ou ciclistas, podem identificar a sua presença, algo que é complicado por veículos elétricos, silenciosos por natureza, já que só geram ruído de rolamento através do contato dos pneus com o asfalto – e velocidades baixas não são suficientes para se ouvir barulho e assim, avisar pedestres e ciclistas da sua aproximação.

Vídeo do sistema AVAS instalado no carro elétrico I-Pace da Jaguar

Para evitar atropelamentos, é necessário algum som para permitir que os pedestres sintam a presença deste tipo de veículo. E esta é precisamente a função do chamado AVAS.

Alguns fabricantes já oferecem em mercados como o japonês ou o americano este tipo de sistema embutido, que geralmente consiste em um ou vários alto-falantes para emitir um som motor sintetizado.

RECOMENDAMOS TAMBÉM...

CONCORDA OU DISCORDA? ESCREVA O SEU COMENTÁRIO

3 COMENTÁRIOS

  1. Isso me lembra aquela história das pessoas que ligam o ventilador no frio porque “não consegue dormir sem o barulho”.

  2. Isso vence o propósito do carro elétrico. Não faz sentido algum colocar um alto falante num carro movido a eletricidade. Diminuirá em muito a autonomia. Para pedestres e ciclistas isso até faz algum sentido. Mas dentro de um carro você não ouve nem o motor de um carro a combustão se estiver com o ar ligado (sempre!). Basta que nós tornemos uma civilização educada. Respeitando as leis de trânsito e essa emissão sonora se tornará desnecessária.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui