Nova tecnologia aumenta em 70% a eficiência dos painéis solares

Investigadores do Instituto de Tecnologia Israelita Technion (Technion Israel Institute of Technology) comunicaram uma inovação tecnológica nas células solares que promete aumentar a eficiência das células solares fotovoltaicas existente em 70 porcento.

A quantidade de energia solar que as células fotovoltaicas conseguem converter em energia elétrica é tipicamente limitada em 30 porcento, muitos dos painéis solares existente ficam aquém desse valor devido a que não são atingidas as condições ideais para a conversão de energia.

Uma equipa do Instituto de Tecnologia Israelita Technion desenvolveram novas ferramentas termodinâmicas que possibilita capturar energia que até este momento era desperdiçada e convertê-la em eletricidade, aumentando assim a eficiência das células solares em 50 porcento (50%).

A equipa de investigadores de Technion, tem estado a trabalhar no sentido de melhorar a eficiência das células fotovoltaicas, de forma a beneficiar a produção de eletricidade através de fontes de energia renováveis. A equipa desenvolveu um material fotoluminescente que absorve a radiação do sol e converte o calor e a luz do sol numa radiação “ideal”.

O resultado é que o material ilumina a célula fotovoltaica e permite uma maior eficiência de conversão. O resultado líquido é um grande impulso na conversão solar: a taxa de eficiência de 30% da célula solar convencional é aumentada para valores próximos de 50%.

Equipa de Investigadores e Professor do Instituto de Tecnologia Israelita Technion
Equipa de Investigadores e Professor do Instituto de Tecnologia Israelita Technion

“A radiação solar, que incide nas células fotovoltaicas, atinge um material dedicado que desenvolvemos para este propósito, o material é aquecido pela parte não usada do espetro solar”, disse o estudante de pós-graduação Assaf Manor, que liderou a investigação e que teve como base a sua tese de doutoramento. “Além disso, a radiação solar no espectro ideal é absorvida e re-emitida num espectro deslocado em azul. Esta radiação é então convertida pela célula solar fotovoltaica. Desta forma, tanto o calor como a luz solar são convertidos em eletricidade”.

Os investigadores continuam com novas pesquisas e testes nesta nova tecnologia de inovação no setor da energia solar, e têm como objetivo desenvolver um produto final que seja comercial e possível de lançar no mercado nos próximos cinco anos.

Os resultados do trabalho desta investigação foram publicados em outubro de 2016 no Jornal Nature Communications.

RECOMENDAMOS TAMBÉM...

CONCORDA OU DISCORDA? ESCREVA O SEU COMENTÁRIO...