Baterias Sistemas Solares Fotovoltaicos

Para quem pensa instalar um sistema solar fotovoltaico, uma das principais questões é a escolha do melhor tipo de baterias a usar no projeto solar fotovoltaico.

Conheça as vantagens e desvantagens das baterias mais usadas nos sistemas de painéis solares fotovoltaicos e decida segundo as caraterísticas de cada tecnologia, qual a melhor bateria que se adapta à tipologia do seu sistema solar.

Sobre as baterias AGM e baterias de GEL

O que são as baterias AGM?

Este tipo de baterias também são conhecidas com baterias de eletrólito absorvido ou baterias secas, as siglas AGM em inglês significam “Absortion Glass Mat”.

As baterias AGM são uma evolução tecnológica das baterias de Gel, e possuem todas as vantagens das baterias de Gel, no entanto nenhuma das suas desvantagens.

Normalmente as baterias AGM estão disponíveis no formato monobloc opaco, encontram-se seladas e dispõem de válvulas de regulação de pressão.

Baterias Solar AGM
Exemplo de baterias tipo AGM

O que são as baterias de Gel?

Este tipo de baterias também são conhecidas como baterias reguladas por válvula, do inglês “Valve Regulated Lead Acid”, são baterias seladas, herméticas e não é necessária manutenção.

São normalmente disponibilizadas em formato de vaso e também em monobloc. Do tipo de construção das células, placas separadoras, etc. são semelhantes às baterias de eletrólito líquido e a estrutura das baterias é sempre opaco. O eletrólito consiste numa solução de ácido sulfúrico que se encontra na forma de gel devido à adição de um silício especial.

Qual a bateria que devo escolher para o meu projeto de painéis solares fotovoltaicos?

Bateria AGM ou de GEL?

Como é muito comum ouvir-se, depende realmente de cada projeto e de cada bolso.

No entanto para um melhor entendimento, vamos apresentar a tabela comparativa das caraterísticas de cada tipo de bateria AGM e de GEL.

Baterias AGM vs Gel – Diferenças e caraterísticas

Baterias Gelificadas (GEL)

Baterias AGM

Comportamento com correntes elevadas: Bom / Médio. Uso de separadores espessos faz com que aumente a distância entre as placas. O GEL aumenta a resistência do eletrólito. Comportamento com correntes elevadas: Bom / Muito bom. A distância entre as placas é menor devido ao desenho dos absorsores.
Tensão de carga: Relativamente baixo. Baixa densidade do ácido. Tensão de carga: Relativamente elevado. Maior densidade do ácido.
Corrente residual: Baixa. Tensão de carga menor. Corrente residual: Elevada. Tensão de carga maior.
Volume do eletrólito: Alto. Enchimento do espaço livre com Gel. Volume do eletrólito: Baixo. Eletrólito apenas no espaço entre as placas.
Capacidade térmica: Elevada. Maior volume do eletrólito. Capacidade térmica: Baixa. Menor volume do eletrólito.
Funcionamento térmico: Bom. O calor gerado flui facilmente para o exterior devido ao espaço livre estar todo preenchido por Gel. Funcionamento térmico: Médio. O calor gerado não flui facilmente para o exterior devido ao espaço livre não estar todo preenchido.
Recombinação: 85-95%. Aumenta a partir do primeiro ano de operação. Recombinação: Regulável. É regulável com o volume do eletrólito.
Resistência à sobrecarga: Bom. O grande volume do eletrólito consegue limitar as sobrecargas. Resistência à sobrecarga: Média. Como o volume do eletrólito é reduzido, as sobrecargas devem ser evitadas.
Estratificação do ácido: Não. A gelificação torna impossível. Estratificação do ácido: Sim. É possível minimizar este efeito colocando as baterias na horizontal.
Tempo de vida: Elevado. A densidade do ácido é baixa. Tempo de vida: Médio. A densidade do ácido é elevada.

Recomendamos:

RECOMENDAMOS TAMBÉM...

CONCORDA OU DISCORDA? ESCREVA O SEU COMENTÁRIO

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

  Subscrever  
Notificação de