Energia Electrica atraves da Fotossintese

Com apenas uma garrafa e meia de água, o sistema pode abastecer o sistema eléctrico de uma casa por um dia inteiro.

Um investigador do MIT – Massachusetts Institute of Technology – inventou uma espécie de folha artificial, que consegue simular o que as plantas fazem e produzir energia, neste caso eléctrica, a partir de água e luz do Sol.

Daniel Nocera, investigador da área de química e energia, conseguiu desenvolver um tipo de sistema que o homem procura imitar há muito tempo, a fotossíntese das plantas.

As “folhas artificiais” de Nocera conseguem quebrar as moléculas de água apenas com a energia da luz do Sol, produzindo energia eléctrica, explica o site Dvice.

As “folhas” foram feitas de silício, embebidas numa solução proprietária de cobalto e fosfato e possuem uma eficiência maior do que as células de energia solar actuais.

httpv://www.youtube.com/watch?v=CT3SelX-dVY

.

Duas informações divulgadas durante a apresentação permitem algum entusiasmo com o feito.

A primeira é que o protótipo funcionou durante 45 dias no laboratório sem qualquer queda na quantidade de energia produzida. Protótipos anteriores deixam de funcionar totalmente em alguns poucos dias.

A segunda é que, ao contrário de vários protótipos de folhas artificiais já fabricadas, que usam catalisadores caros, como o ródio, a equipe do Dr. Nocera usou catalisadores de níquel e cobalto que, se não são exactamente baratos, também não são proibitivamente caros.

A folha artificial quebra as moléculas da água em seus dois elementos constituintes, oxigénio e hidrogénio.

Os dois gases são levados para uma célula a combustível, responsável para produção da electricidade.

O sistema composto, que os cientistas agora apresentaram, baseou-se em um trabalho anterior do grupo no desenvolvimento de catalisadores para quebra das moléculas de água.

.

APRESENTAÇÃO DO DR. DANIEL NOCERA DO MIT

httpv://www.youtube.com/watch?v=KTtmU2lD97o

.

Hoje em dia, já existem aparelhos que conseguem produzir energia eléctrica quebrando moléculas de água, mas eles são caros e precisam de água pura para isso. A grande vantagem da técnica de Nocera é que a água utilizada pode ser suja, como águas provenientes da chuva e outros sistemas.

Segundo ele, o mundo consome hoje 14 terawatts de energia eléctrica por dia e, em 2050, este número pode aumentar para 16 TW.

Nocera afirma que para suprir este consumo daqui a 40 anos, utilizando este tipo de tecnologia só seria preciso uma piscina com água – para o mundo inteiro! Impressionante não?

O investigador juntou-se ao Grupo Indiano Tata, para a produção e comercialização de um sistema que utilize esta tecnologia.

.

“Nós esperamos ter um protótipo em um ano e meio”, conta Nocera.

GRUPO MIT DR. DANIEL NOCERAhttp://web.mit.edu/chemistry/dgn/www/index.shtml

RECOMENDAMOS TAMBÉM...

CONCORDA OU DISCORDA? ESCREVA O SEU COMENTÁRIO

1
DEIXE O SEU COMENTÁRIO

1 Comentários da discussão
0 Respostas aos comentários
0 Seguidores
 
Comentário mais ativo
Discussão mais ativa
1 Comentários dos autores
  Subscrever  
mais recente mais antigo mais votado
Notificação de
fabio

sempre ti vontade de conhecer uma tecnologia que teria essa capacidade ate sonhei com árvore pode limpa ar incrível esse seu projeto não só um génio mas sempre tive esse interesse e formidável.