Energia solar

Governo Brasileiro incentiva a escolher energia solar

Uma proposta do Governo Brasileiro pode levar 3,5 milhões a escolher energia solar, mas a proposta ainda está parada na Câmara, onde aguarda votação no plenário!

O projeto lei 5829/2019 está parada no Congresso Nacional, tendo como objetivo incentivar o uso de energia solar no Brasil, que pode ir até 3,5 milhões a escolher energia solar. O que significará um aumento de 680% no uso da tecnologia solar no país até 2031!

Estes números são baseados num estudo sobre a expansão de energia no Brasil que foi concluído em julho pela Empresa de Pesquisa Energética (EPE), órgão vinculado ao Ministério de Minas e Energia.

Se a proposta for aprovada, 4,1 milhões de brasileiros irão ter energia solar na sua casa até 2031, sendo que atualmente apenas há 525 mil utilizadores da energia solar no país (dados da ANEEL – Agência Nacional de Energia Elétrica).

O projeto tem ainda capacidade para proporcionar até 2031, uma potência instalada de 35,6 GW, perante os atuais 6,2 GW!

Os investimentos serão superiores a 120 biliões de reais!

Estudo que incentiva a escolher energia solar

Painel Solar Fotovoltaico

O estudo realizado pela EPE faz parte do Plano Decenal de Expansão de Energia (PDE 2031), onde são traçados vários cenários sobre o uso de fontes de energia alternativas, como a energia solar para o período de 2022 a 2031.

O principal cenário é mesmo o da aprovação do projeto, em que se prevê a manutenção de incentivos e a criação de regras de transição para os consumidores que gerem a sua própria energia solar!

A proposta está parada no plenário da Câmara, tendo já sido incluída nas votações do plenário 15 vezes desde março, mas nunca chegou a ser votada!

RECOMENDAMOS TAMBÉM...

CONCORDA OU DISCORDA? ESCREVA O SEU COMENTÁRIO

12 COMENTÁRIOS

  1. Como produtor rural, Tenho grande interesse em energia limpa e a nossa disposição, só que falta vontade no Congresso Nacional em colocar na palta prioridade os projetos de interesse do povo. A energia fotovoltaico é solução, além de não poluir ela não vai mexer em nossos mananciais que serão, com mais volume, atender outras utilidades. Deixe essa CPI da COVID-19 pra lá que isso vai dar em nada e vamos priorizar o que interessa ao povo, ou então fechar esse improdutivo Congresse que só serve Gastar o Dinheiro Público. O POVO ESTÁ NO LIMITE. pode estourar uma revolução a qualquer momento. Ou as FORÇAS ARMADAS TOMAR DECISÕES DRASTICAS DE MUNDANÇAS.

  2. Alô, Bom dia à todos.Sou favorável e adepto á essa tecnologia de captação de energia limpa e abundante em nosso País. Temos que pressionar os deputados para aprovarem incentivos fiscais e tributos, sobre esse tema há muito tempo parado no Congresso. Outra coisa que chama nossa atenção é sobre o custo dessas placas. Não temos condições de fábrica las aqui?

  3. Papo furado! A proposta do governo NÃO incentiva os projetos fotovoltaicos. Ela RETIRA os incentivos atuais, criando uma regra de transição que vai ONERAR os usuários lá na frente. Muito provavelmente é por isso que não foi votada na Câmara.
    Informem-de melhor antes de publicar desinformações como essa.
    Att.

  4. Na real o governo deveria dar painel solar pra todo mundo. Olha a energia que ia produzir por dia. E mais, deveria construír baterias mecanicas para armazenar durante o dia e liberar a noite no horário de pico. Já pensou uma fly wheel sendo usada de novo? Ou pesos e polias dentro da terra armazenando essa energia toda?

    • Só acho que não é obrigação do governo dar painéis a população e sim achar uma maneira de que a população possa financiar através de retiradas de impostos sobre todo o material a ser usado nas instalações, pois não é obrigação dar nada e sim incentivar o povo a poder adquirir os materiais a ser usado neste sistema

  5. Iniciativa ótimo do nosso governo.Mas os que dizem ser representante de nosso povo não tem nenhum enterece em agilizar esta proposta pois séria um fato inédito e um pulo para futuro ….

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui