coooperativa-energias-renovaveis-coopernico

Coopérnico, a primeira cooperativa de energias renováveis em Portugal lança mais um projeto para atrair novos investidores.

A Coopérnico vai lançar o seu oitavo projeto de energia fotovoltaica. Um projeto que conta com o apoio de investidores privados e que pretende garantir uma parte da energia necessária de forma a ser capaz de responder às necessidades energéticas dos seus próprios membros.

O projeto tem o valor de 53.750 euros e acontecerá em Loulé, no Algarve. Com uma potência de 46kW e uma produção de 82.000 kWh/ano irá corresponder ao consumo anual de 31 famílias e traduzir-se-á numa poupança de 52,5 toneladas de dióxido de carbono (CO2).

O projeto surge através de uma parceria com a ASMAL – Associação de Saúde Mental no Algarve.

Os objetivos da ASMAL são o de promover a saúde mental em todas as fases da vida, oferecer maior diversidade e qualidade nos serviços prestados, aprofundar o trabalho em parceria, colaborar para a desmitificação social da doença mental.

O objetivo desta cooperativa Coopérnico fundada por um grupo de 16 pessoas vindas de diferentes áreas profissionais é nobre já que, a cooperativa pretende insurgir-se contra a exploração do petróleo seguindo a alternativa das energias renováveis.

O modelo da Coopérnico está desenhado para um investimento a 12 anos, por parte dos seus membros. Os projetos inserem-se sempre na produção de energia renovável. Até agora apenas se limitam à energia fotovoltaica através de painéis solares fotovoltaicos.

Os projetos são desenvolvidos em instituições do terceiro setor, preferencialmente IPSS e organizações ambientais a quem será doada toda a infraestrutura (equipamentos colocados nos telhados) após 15 anos de produção.

O projeto implica pagamento de juros anuais.

A quantidade de eletricidade produzida nas centrais solares fotovoltaicas é igual ou superior à consumida pelos clientes da Coopérnico.

Para além da produção de energia verde, a Coopérnico, que tem como missão envolver os cidadãos e empresas na criação de um novo paradigma energético – renovável e descentralizado – em benefício da sociedade e do meio ambiente e é a única empresa portuguesa social a comercializar eletricidade.

Dos sete projetos já em funcionamento, levados a cabo por esta cooperativa, totaliza-se uma potência instalada de 448 kW e uma produção média anual de 668 000 kWh. Esta produção equivale às necessidades energéticas de 255 famílias.

A cooperativa inovadora em Portugal já está a dar que falar e a adesão tem surpreendido todos os responsáveis e membros. O número de membros está quase nos 500 e o número de contratos situa-se nos 266.

Cada membro tem um voto podendo participar na gestão democrática da cooperativa, na tomada de decisões e, de forma mais direta, nas atividades da cooperativa.

Este modelo que se apresenta como energético, social e empresarial concentra um investimento de 344.250 euros.

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS TAMBÉM...

CONCORDA OU DISCORDA? ESCREVA O SEU COMENTÁRIO...