Isolamento Térmico Edifícios

A instalação de sistemas de isolamento térmico cresce com o aumento do custo da eletricidade e do gás

Aumento da instalação de sistemas de isolamento térmico

A atual crise energética e o combate às alterações climáticas tornaram ainda mais importante a necessidade de reduzir o gasto energético nos lares.

Devido a este contexto, muitas casas optam por sistemas de isolamento térmico como solução para este problema, uma vez que representam uma diminuição da procura energética entre 30% e 70% por casa.

A crise energética e os problemas de abastecimento provocaram grandes aumentos no preço da eletricidade e do gás. Desta forma, com a chegada do outono e inverno, e consequente diminuição das temperaturas, o gasto energético multiplica-se e faz com que muitas casas tenham problemas em manter-se quentes e secas. Neste contexto, uma das principais soluções das comunidades e dos indivíduos é o isolamento térmico.

A Sto, empresa internacional especializada no fabrico de sistemas e elementos de construção sustentável, lança algumas dicas a ter em conta no momento de decidir apostar no isolamento térmico.

Como é sabido, as construções do sul da Europa são bastante deficitárias no que respeita à eficiência energética. Portugal é, na verdade, um dos piores exemplos pelo que existe ainda um longo caminho a percorrer neste sentido.

Felizmente, e graças a um recente e cada vez mais rigoroso quadro jurídico, medidas de incentivo à renovação energética e uma maior sensibilização dos cidadãos, este tipo de soluções está a crescer.

Tanto pela diminuição da procura de energia que representam (entre 30% e 70% por casa), como pelas suas múltiplas vantagens:

  1. Poupança económica;
  2. Diminuição das emissões de gases com efeito de estufa;
  3. Conforto térmico interior;
  4. Capacidade de isolamento acústico;
  5. Aumento do valor de mercado da propriedade ou melhorias a nível da saúde e do bem-estar, reduzindo o aparecimento de humidade por condensação e a proliferação de microrganismos.

Embora a sua aplicação em casas recém-construídas seja uma tarefa simples, sabemos que o mesmo não acontece quando se trata de edifícios antigos.

Principais fatores para isolar uma casa e proteger contra o frio

Para esclarecer este assunto, os peritos da Sto apontam os fatores a ter em conta ao isolar uma casa e proteger contra o frio:

Isolar por fora é sempre a melhor opção

  • Embora numa casa independente a resposta seja clara – é melhor apostar num isolamento exterior (ITE ou fachada ventilada), o dilema surje quando se trata de edifícios multifamiliares, onde os vizinhos devem concordar em intervir na fachada para benefício de todos. Aqui será essencial defender a ideia de que esta solução, embora implique um investimento, será benéfica a longo prazo em todos os sentidos: elimina de forma ótima pontes térmicas, melhora a inércia térmica do edifício como um todo, não requer abandonar a casa para a sua instalação e permite melhorar a vertente estética do edifício como um todo.

Se não houver consenso com o resto dos vizinhos, pode sempre apostar num sistema de isolamento interior

  • Se não for alcançado um consenso, não haverá escolha a não ser fazê-lo a nível privado, instalando-o no interior. Neste caso, e embora seja também uma opção térmica eficaz e não precise da permissão da comunidade de vizinhos, deve ter em conta que se trata de uma solução menos ideal, uma vez que a superfície útil será subtraída da propriedade e, tendo uma parte da fachada bem isolada e outra pior, há mais hipóteses de que a humidade seja gerada pela condensação.

A escolha do material isolante mais adequado dependerá de vários fatores

  • Existem inúmeros tipos de materiais isolantes, e a escolha do mais adequado será condicionada por diferentes parâmetros, incluindo a área geográfica em que o edifício está localizado, o clima, o tipo de edifício, a espessura e o tamanho que o isolamento ocupará em comparação com o espaço disponível, se o isolamento for aplicado dentro ou fora da casa… Neste sentido, os materiais isolantes mais utilizados são lãs minerais, poliestirenos expandidos, isolamento de fibra de madeira ou painéis de resina fenólica. No entanto, nestes casos, os peritos encarregados da intervenção saberão ajudar a escolher o mais adequado.

Outras soluções adicionais, tais como vedação de fendas e lacunas ou instalação de janelas de qualidade

  • Não basta ter um bom sistema de isolamento térmico. É vital evitar perdas de calor noutros pontos de fuga. Por exemplo: utilize um vedante de espuma para tapar as maiores fissuras à volta de janelas, rodapés ou qualquer outro espaço onde possa entrar o ar e o frio; instalar juntas de borracha por trás de fichas e interruptores; se tiver janelas com fechos para utilizar, coloque as cortinas adesivas ou instale a vedação adesiva com espuma flexível impregnada; isolar caixas de persianas; evitar cobrir radiadores com móveis ou roupas… No entanto, a melhor solução, se tiver um orçamento que o cubra, é instalar janelas com rutura térmica ou vidros duplos com câmara de ar.

Ajudas disponíveis para a realização de uma intervenção deste tipo

  • O custo de isolar termicamente uma casa ou edifício dependerá de cada projeto em questão. No entanto, e para além de o investimento económico isolado ser rapidamente amortizado e reembolsável num curto espaço de tempo, existem cada vez mais planos para promover a reabilitação, subsidiando a totalidade ou parte destas intervenções, como as do Plano de Recuperação, Transformação e Resiliência da Economia Portuguesa, enquadrado nos fundos europeus de ajuda.

RECOMENDAMOS TAMBÉM...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui