Minas Extração Lítio - China

China e o seu infinito poder na indústria do lítio

Chile, Austrália e Argentina produzem cerca de 80% deste metal básico para fabricar baterias para veículos elétricos.

Como anteriormente fazia em setores estratégicos, a China continua a investir milhões de dólares em ações de empresas produtoras de lítio na Austrália, Argentina, Chile, México ou Bolívia.

Desta forma, a China procura ter uma posição firme na indústria de baterias de iões de lítio, fundamental para veículos elétricos.

Através de aquisições, os chineses estão a posicionar-se na liderança de muitas empresas do setor do lítio.

Procura de lítio vai triplicar nos próximos anos

De acordo com estimativas de especialistas, a procura por lítio triplicará nos próximos cinco anos em comparação com o crescimento de veículos elétricos. Todos os países que têm alta taxa de consumo final procuram uma oferta que também é importante, por razões estratégicas.

No entanto contra estes números outros especialistas consideram que se o Chile, Austrália e Argentina produzem cerca de 80% do lítio global, este não é um mercado tão diversificado.
Os Estados Unidos lançaram a “Iniciativa de Governação dos recursos energéticos”, que visa ajudar os países a explorar as suas reservas de lítio, cobre ou cobalto.

O documento afirma que as energias renováveis estão a criar uma procura e necessidade sem precedentes de energia mineral e a dependência de qualquer fonte aumenta o risco de interrupção do seu fornecimento.

Os Estados Unidos revelaram um plano para garantir minerais estratégicos do abastecimento, e a China está a desencadear uma guerra comercial.

Produção barata de lítio na China assusta EUA e Europa

O governo chinês informou recentemente que descobriu um método fácil e mais barato de produzir lítio, um ingrediente essencial em baterias para carros elétricos. A Europa e os Estados Unidos estão preocupados com o crescente domínio da China na cadeia de fornecimento de baterias.

Minas Extração Lítio - China
Minas Extração Lítio – China

Fabricantes de carros elétricos projetaram que o país asiático impulsionará a revolução dos veículos elétricos em vez dos Estados Unidos.

De acordo com o relatório do governo chinês, o custo de extração foi reduzido para um recorde de 15.000 yuan por tonelada pelo novo processo. A estimativa global do preço de extração do mineral está entre 10 mil euros e os 18 mil euros, O contrato de longo prazo para mineração de lítio é de cerca de 15 mil euros.

Os dados da Benchmark Minerals Intelligence afirmam que apesar da produção relativamente baixa de lítio, a China atualmente domina o fornecimento de baterias de lítio, contribuindo com quase dois terços da produção mundial. Os dados também dizem que controla a maioria das instalações de processamento de lítio do mundo.

Como já foi referido anteriormente, os valores reais atuais do lítio variam entre  10 mil euros e os 18 mil euros por tonelada, no entanto os chineses estão a surpreender o mundo e afirmam que conseguem comercializar este componente por apenas 2 mil euros a tonelada, o que representa praticamente 5 a 9 vezes menos por tonelada.

Esta grande diferença nos valores do lítio não é porém explicada pelos chineses, no entanto tudo se pode basear na exploração de mão-de-obra barata local e num contínuo desrespeito pelo ambiente.

A China mais uma vez vai conseguir dominar mais uma indústria, desta vez a das baterias de lítio utilizando para isso práticas comerciais desleais que não são permitidas nem praticadas nos países desenvolvidos, ou seja, nenhum outro país conseguirá competir com a China no setor de produção de lítio.

Qual a sua opinião sobre o domínio da indústria da China sobre um dos principais componentes das baterias dos carros elétricos?

RECOMENDAMOS TAMBÉM...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui