Bateria a metanol RG Nathalie

Startup chinesa Airways anunciou parceria com a dinamarquesa Blue World Technologies com o intuito de desenvolver uma célula de combustível à base de metanol para ser instalada na próxima geração dos seus carros elétricos.

Com esta nova tecnologia de célula de combustível de metanol, sem emissões poluentes, a autonomia irá igualar a autonomia oferecida pelos carros de combustão atuais.

A Blue World Technologis é especializada no desenvolvimento e fabrico de componentes avançados e sistemas de célula de combustível de metanol para uso em sistemas de mobilidade e aplicações relacionados com os automóveis. Estão sediados em Aalborg, Dinamarca e em breve irão abrir escritórios em Shanghai (China).

Até agora a temperatura de funcionamento das células de combustível de metanol era baixa, o que limitava o seu uso a aplicações de pequeno tamanho, como dispositivos móveis, portáteis, telemóveis e carregadores de baterias para outros produtos eletrónicos.

Assim, desenvolveram um sistema que funciona a alta temperatura, graças a uma membrana que permite trabalhar a uma temperatura superior a 130 ºC, e um novo catalisador anódico para a oxidação direta.

Esquema de funcionamento de uma célula de combustível de metanol
Esquema de funcionamento de uma célula de combustível de metanol

Parceria entre as duas empresas

O acordo firmado entre as duas empresas estabelece o desenvolvimento de uma célula de combustível de metanol a alta temperatura que terá como destino os próximos carros elétricos da Airways.

Alexander Klose, vice-presidente de operações da Airways diz que o objetivo da empresa passa por impulsionar o desenvolvimento de soluções de mobilidade inovadoras.

Pois as melhorias implementas no modelo elétrico Gumpert Airways Nathalie permitiram competir com outros automóveis de propulsão convencional em termos de autonomia, acabando assim com uma desvantagem dos carros elétricos (a baixa autonomia perante os carros a combustão).

Por seu lado, Anders Korgaard, da Blue World Technologies explicou que a bateria de combustível desenvolvida pela sua empresa se alimenta de metanol líquido, combustível disponível em todo o mundo através das infraestruturas já existentes. Basta ser processado pelo sistema e ser convertido em energia elétrica, não tem emissões poluentes para a atmosfera.

Além de que o peso da célula de combustível de metanol é equivalente a uma bateria de lítio, como tal não irá aumentar o peso final do carro elétrico com este novo sistema, mas apenas aumentar a autonomia de modo significativo.

RG Nathalie

No passado a Ser Energy desenvolveu um sistema de baterias que serviu de modelo para a Airways. Pegou nesse sistema e aplicou-o ao RG Nathalie, que chegará em 2021 como veículo exclusivo a rondar os 400 000€. O RG Nathalie será o primeiro carro eléctrico do mundo que usa metanol para produzir a energia de que necessita.

Roland Gumpert - RG Nathalie
Roland Gumpert – RG Nathalie

As siglas RG correspondem ao engenheiro alemão e fundador da empresa Roland Gumper, responsável pelo desenvolvimento deste automóvel.

Tem um motor de 300 a 600 WK (400-800 CV) capaz de alcançar os 300 Km/h, acelerando dos 0 aos 100 em 2,5 segundos. Tem como autonomia cerca de 8540km (velocidade média de 80 Km/h) com uma só carga. Para recarregar a bateria apenas precisa de 3 minutos.

No fim de 2018, a Airways deu a conhecer a sua intenção de comercializar o seu primeiro modelo elétrico U5 Ion, um SUV com 460km de autonomia que chegará ao mercado chinês em 2019 e à europa em 2020, a rondar os 25 000€.

O objetivo da empresa é oferecer um vasto catálogo de modelos elétricos que serão fabricados na China em Shangrao, onde têm a sua principal fábrica.

RECOMENDAMOS TAMBÉM...

CONCORDA OU DISCORDA? ESCREVA O SEU COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here