Parque Solar - Instalação de Módulos Solares

ABSOLAR apresenta propostas para INMETRO e Ministério do Desenvolvimento Regional

A Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (ABSOLAR) juntamente com os representantes do Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro) e do Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR) apresentaram propostas relacionadas ao desenvolvimento do setor.

No dia 27 de março, os conselheiros e equipas dos departamentos técnico-regulatório e relações institucionais da entidade participaram numa videoconferência com o presidente do Inmetro, Coronel Marcos Heleno Guerson de Oliveira Júnior, e com o novo diretor do Departamento de Avaliação da Conformidade do Instituto, Lenilton Duran Correa.

O objetivo foi procurar, junto com o órgão, soluções para os problemas enfrentados pelas empresas de energia solar.

Entre os problemas relatados pelas empresas do setor da energia solar estão:

  • Demora para registo de produtos;
  • A exigência de alteração para CNAE de importador por empresas de geração de energia,
  • Retardamento do prazo de validade de 90 dias da LI devido ao coronavírus;
  • Exigência de ensaios laboratoriais para cada importador mesmo de produtos com subsidiária no Brasil;
  • Entre outros assuntos.

De acordo com a ABSOLAR, o presidente do Inmetro informou que os processos estão nas suas prioridades e solicitou ao diretor dar seguimento e manter contacto com a associação.

Anteriormente, a ABSOLAR reuniu-se, por videoconferência, com Rogério Marinho, o ministro do Desenvolvimento Regional, para apresentar oportunidades de energia solar que podem impulsionar a economia de estados e municípios.

Foram discutidos assuntos nas áreas de financiamento para o setor solar, habitação popular, redução de custos com eletricidade, segurança hídrica e geração de empregos e renda na região Nordeste.

A entidade aponta que a reunião resultou no compromisso do MDR em levar para a próxima reunião do Conselho Nacional de Política Energética (CNPE) uma proposta de redução de custos na operação do Projeto de Integração do Rio São Francisco (PISF), através da energia solar.

RECOMENDAMOS TAMBÉM...

CONCORDA OU DISCORDA? ESCREVA O SEU COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui