Veículos Eléctricos podem incrementar as Emissões de CO2

hiriko-citycar-electrico

A circulação de carros eléctricos pode provocar um aumento das emissões de dióxido de carbono (CO2), a menos que estes veículos sejam abastecidos com energia “verde”.

Um relatório apresentado em Bruxelas revela que colocar carros eléctricos em circulação pode conduzir a um aumento das emissões de dióxido de carbono, a menos que estes sejam abastecidos com energia “verde”. O relatório foi preparado para as associações ambientalistas Amigos da Terra – Europa, Greenpeace e Federação Europeia dos Transportes e Ambiente (T&E).

O estudo avisa que a legislação europeia que regula as emissões dos carros apresenta graves lacunas, ao autorizar os construtores automóveis a “compensar” a venda de veículos eléctricos com a venda de veículos mais poluentes, que escapam aos limites de emissão definidos na legislação. Por cada carro eléctrico vendido, os construtores automóveis beneficiam de 3,5 “supercréditos”, ou seja, a permissão de venda de 3,5 carros altamente poluentes, sem que as emissões desses veículos sejam contabilizadas no cálculo das emissões médias desse construtor (usadas para efeito de cumprimento dos limites de emissão).

O resultado desta regra é que a venda de 10 por cento de veículos eléctricos pode levar a um aumento de 20 por cento no consumo de combustível e emissões de carbono no sector automóvel.

Por isso, as organizações ambientalistas apelam à eliminação da referência aos “supercréditos”, apelando a que esta correcção seja já introduzida na proposta para regular as emissões dos veículos ligeiros de mercadorias, cuja adopção está agora em discussão.

Adicionalmente os ambientalistas esperam que todos os veículos eléctricos vendidos no mercado Europeu venham dotados de uma tecnologia de abastecimento inteligente que permita que a energia usada para carregar as baterias seja sobretudo proveniente de fontes renováveis – como a eólica e a solar.

Quercus alerta para energia limpa

Francisco Ferreira, da Quercus, que integra a T&E, explica, em comunicado, que a Quercus vê nos veículos eléctricos «um enorme potencial» para reduzir a poluição do ar e as emissões de carbono, mas este relatório vem chamar a atenção para a necessidade de assegurar que a energia com que carregamos os nossos veículos é verdadeiramente limpa.

A Quercus compreende o estímulo, «mas cerca de 36,5 milhões de euros de apoio previsto no Orçamento do Estado a cinco mil veículos eléctricos, a que se deve acrescentar a receita perdida em Imposto sobre Veículos e Imposto Único de Circulação, parece-nos demasiado. São cinco mil euros de incentivo, mais 1500 euros se for entregue um veículo para abate e ainda 803 euros na rubrica relativa à aquisição de equipamentos de energias renováveis

FONTE: PORTALAMBIENTEONLINE