Siemens abandona e coloca à venda divisão de energia solar

siemens-energia-solar

O grupo alemão Siemens decidiu abandonar a área da energia solar, num momento de elevada concorrência externa e de acentuada queda nos preços.

“Devido a alterações no quadro de condições, fraco crescimento e forte pressão dos preços no mercado do solar, as expectativas da empresa para as suas actividades na área da energia solar não foram cumpridas”, explica um comunicado da empresa.

A alemã Siemens anunciou nesta segunda-feira que colocou à venda a divisão de energia solar, que em 2011 registou um volume de negócios de centenas de milhões de euros e que emprega 800 funcionários.

O sector solar representa uma pequena fatia dos negócios da Siemens na área da energia, somando 300 milhões de euros numa facturação total de quase 25 mil milhões de euros em 2011 e emprega actualmente cerca de 800 colaboradores.

O grupo estava a concentrar-se sobretudo na energia solar térmica, que aproveita a radiação do sol para aquecer um líquido, que depois alimenta a produção eléctrica pela geração de vapor.

siemens-energia-solar

Mas não só o mercado mundial está dominado pelo solar fotovoltaico – com a produção de electricidade directamente através dos painéis solares – como tem havido uma forte concorrência de produtos chineses.

No princípio de Setembro, a Comissão Europeia lançou uma investigação contra a alegada prática de dumping (venda abaixo de custo) na comercialização de equipamentos chineses de energia solar.

A Siemens vai agora concentrar o seu negócio energético na área das eólicas e das hidroeléctricas.

A Siemens é mais um gigante Europeu a dar sinais de fragilidade no confronto direto com empresas chinesas de baixo custo.