Preços de leilão de Energia Eólica descem também no Uruguai

energia-eolica-uruguai

Seguindo os passos da experiência brasileira, o leilão de energia eólica promovido pelo governo do Uruguai nesta terça-feira (23/08) surpreendeu pelo decréscimo dos preços.

Os parques fecharam a venda de sua produção, em média, por algo entre US$63 (43.80 €) e US$67 (46.60€) por MWh, patamar semelhante ao praticado no último certame brasileiro –  onde a média foi de pouco mais de US$60. O valor também é cerca de 25% abaixo do verificado na concorrência uruguaia realizada em Janeiro deste ano.

Foram inscritos um total de 1.097MW, entre 23 projectos de 17 empresas. A UTE, estatal que administra o sector no Uruguai, decidiu pela contratação de 150MW, número que pode crescer após a competitividade vista no leilão. Segundo publicou o jornal local El Pais, o director da UTE, Gerardo Rey, afirmou que há a possibilidade de se comprar 300MW, “em função dos preços estarem sensivelmente abaixo das projecções”.

A principal explicação encontrada para esse nível de preços é a mesma verificada no Brasil: o estoque das empresas fornecedoras de turbinas com a crise e diminuição de demanda na Europa.

Outro factor, esse, em particular, da economia uruguaia, é o incentivo estabelecido pelo governo. Toda a energia que for gerada até  o final de 2014 poderá ser comercializada a US$110 por MWh, o que motiva os empreendedores a iniciar a operação o mais rápido possível.

Ainda de acordo com o El Pais, o sucesso da fonte faz a UTE reflectir se é conveniente o investimento em um parque eólico de 100MW, para aumentar a participação estatal na matriz. Inclusive estaria em discussão a criação de uma sociedade com a Eletrobras, que tem afinado as relações com os vizinhos da América Latina.

Esse ponto é ressaltado também pelo coordenador do Grupo de Estudos do Sector Eléctrico da Federal do Rio de Janeiro (Gesel-UFRJ) Nivalde de Castro. “Esses preços reflectem os praticados no Brasil, pela conjuntura económica favorável e pela relação bastante intensa com a Eletrobras”, afirma o especialista, que lembra também que o benefício oferecido pelo governo é resultado do deficit de oferta de energia no país.

.

Eletrobras

Em Julho, a Eletrobras participou de uma reunião no Uruguai para a análise de três projectos eólicos no país, como parte do plano de internacionalização da companhia que colocou os projectos nos vizinhos latino-americanos como um dos principais focos da actual gestão.

De acordo com o superintendente de operações no exterior da estatal brasileira, Sinval Gama, as empresas brasileiras do comité brasileiro da Cier (Comité de Integração Eléctrica Regional) estão analisando 20GW em projectos hidroeléctricos na região. O executivo citou nominalmente estudos no Peru, Bolívia, Chile, Argentina, Guiana e América Central.

.

Preços

O parque eólico mais barato do Uruguai será construído em Florida, pela empresa Ensol. Com 50MW, a energia foi comercializada por US$62,35.

No Brasil, a Eletrosul vendeu um parque no leilão de A-3 por cerca de US$59,93, menor preço já visto por uma usina da fonte no País.