Portugal Telecom reforça aposta nas energias renováveis

aposta-energias-renovaveis

A Portugal Telecom (PT) anunciou o reforço na aposta nas energias renováveis e o reforço da estratégia de sustentabilidade da empresa, em termos ambientais.

“Com uma visão integrada da sustentabilidade em todos os seus vetores (económico, social e ambiental), a PT entende que esta estratégia deve ser implementada junto de toda a sua cadeia de valor e num ecossistema de partilha de benefícios entre parceiros, fornecedores, clientes e a própria empresa.”

Umas das medidas mais importantes diz respeito à substituição dos geradores das estações base de rede móvel por painéis fotovoltaicos.

Seis estações base de rede móvel foram já alvo de intervenção, após uma experiência piloto na estação de Abrigada, em Torres Vedras, e permitem reduzir as emissões de dióxido de carbono em 215 toneladas por ano. Piornos, Coelheira, Vila Pouca de Aguiar, Vinhais, Cruz Morouços e Alfambras são os seis locais em que existiam estações alimentadas a combustível fóssil e que contam agora com mais de cem painéis fotovoltaicos.

Os painéis fotovoltaicos substituem a fonte de alimentação baseada em fontes de combustível fóssil por energias renováveis de matriz fotovoltaica.

Cada infraestrutura é composta por vinte painéis solares, com uma potência de 250 watts cada, que podem atingir, no total, uma potência de 5 mil watts.

Estes painéis solares são complementados por um conjunto de baterias com uma capacidade de 1200 Amperes/hora.

Outras 14 estações em todo o país foram já identificadas e em breve serão também estas alimentadas por energia fotovoltaica.

Para além desta redução nas emissões de dióxido de carbono que, no total irá resultar numa diminuição de mais de 800 toneladas de dióxido de carbono, a empresa vai ainda reduzir o consumo energético em 2,5 milhões de euros.

A empresa está empenhada nesta mudança ambiental e mais sustentável e para tal vai ainda contar com sistemas de backup através de energia sustentável, nos edifícios da empresa em Lisboa e nas centrais de rede fixa.

Nesta estratégia de sustentabilidade ao nível ambiental, até 2020, as contas falarão por si próprias: redução de 9 milhões de toneladas de dióxido de carbono e redução em 15% das emissões de carbono.

A PT encontra-se focada na diminuição da pegada de carbono e tira, desta forma, proveito das Tecnologias da Informação e da Comunicação (TIC) e das redes de nova geração que reforçam o que o Estudo Smart 2020 da Global e-Sustainability Initiative considerou como sendo o potencial das soluções tecnológicas – a capacidade de reduzir em 15% emissão de dióxido de carbono.

COMPARTILHAR