Energia ondas e marés

prototipo-energia-ondas-mares

Os oceanos antes somente explorados pela vida marinha, também são grandes potenciais para a geração de energia elétrica, a sua utilização já vem sendo estudada desde de 1799, experimentos nesta época analisavam uma máquina sendo movida pela força das ondas, e que então concentrava uma força mecânica, desde então os estudos técnicos e tecnológicos estão sendo aprofundados.

Alguns países estão bastante empenhados no avanço da exploração das ondas do mar para produzir eletricidade, tais como a Grã Bretanha, Portugal, Brasil e Países Escandinavos, já obtiveram grandes descobertas em prol da geração de energia de ondas e marés, claro que muito ainda deve ser feito para que este processo alcance todos os países, mas tendo em mente que a possibilidade de usar os oceanos em prol da sustentabilidade já é um grande feito.

Operação de Protótipos tecnológicos para o aproveitamento da energia das ondas e marés

Na Ilha do Pico, nos Açores, está em operação uma central com 400 kw, sendo a primeira central no mundo a produzir eletricidade a partir da energia de ondas, de uma forma regular.

Atualmente os protótipos flutuantes ficam localizados longe da costa, desta forma os sistemas de energia das ondas capturam mais força frequentemente, determinamos esta plataforma como uma central onshore.

O futuro deste tipo de produção de eletricidade reside em centrais offshore em que se prevê para Portugal um potencial elevado, a meta é que até 2025 cerca de 20% da eletricidade consumida tenha origem pela energia de ondas e marés.

Esta perspectiva pressupõe que o aperfeiçoamento das diferentes tecnologias, que ainda estão a dar os primeiros passos, possam ser aprimoradas e obtendo mais expansão em nosso país.

Outra forma de aproveitamento dos oceanos para a produção de eletricidade é a energia das marés, mas em Portugal a diferença de nível entre a maré cheia e a baixa-mar não é suficiente para inserir este processo, no nosso país são conhecidos os chamados moinhos de maré, na margem sul do estuário do Tejo, que funcionaram desde o século XIV, denominado como a mais antiga fonte de geração de energia elétrica.

A energia contida nas ondas marítimas é considerada uma fonte de energia renovável, então porque não utilizar deste processo em prol dos avanços do mercado energético?

Sendo que a possibilidade de disseminação deste recurso, novas capturas de diferentes profundidades e características geológicas estão sendo analisadas por pesquisadores da área, isto é um enorme incentivo para a proteção do meio ambiente e avanço do setor de energias sustentáveis.

COMPARTILHAR