Martifer planeia vender activos de 300 milhões de euros até 2012

martifer-oliveira-frades

A Martifer tem identificados 100 milhões de euros em activos non-core, dos quais quer vender 75 milhões até 2012, revelou o administrador financeiro da empresa , Mário Couto, num encontro com os jornalistas, no dia em que se comemora o seu «Investor Day».

No entanto, a transacção vai ser feita com calma e sem pressão. «Do lado da Martifer não existe qualquer pressão para alienarmos estes activos e portanto, até 2012, teremos muito tempo para o fazer da melhor forma», afirmou o mesmo responsável.

Mário Couto confirmou, no entanto, que já existem interessados nos activos identificados: Tavira Plaza, Complexo de Benavente e em terrenos na Polónia e Roménia.

Actualmente os activos core da Martifer assentam nas estruturas metálicas (alumínios e Inox), equipamentos de produção de energia, nomeadamente em energia eólica e solar e a participada Prio Fuels.

.

Investimento de 320 milhões em 3 anos

Conforme refere o relatório apresentado pela empresa de Oliveira de Frades e confirmado por Mário Couto esta sexta-feira, «a Martifer tem um investimento previsto entre 2009 e 2012 de 320 milhões de euros». Deste montante, 275 milhões destinam-se ao sector das renováveis, 20 milhões de euros no sector das construções, 15 milhões na energia eólica e 10% em energia solar.

No final de 2012, a empresa espera ter uma dívida líquida de 430 milhões de euros, dos quais 188 milhões de dívida corporativa.

.

Distribuição de dividendos

A Martifer anunciou esta manhã que vai remunerar os accionistas já no próximo ano, referente ao exercício actual.

Em comunicado, a empresa revelou que vai distribuir 40% dos seus resultados líquidos, a partir de 2010, ao mesmo tempo que assegurou que, «vai manter uma estrutura financeira sólida e níveis confortáveis de dívida».

Conforme disse o novo presidente da Comissão executiva da empresa, Jorge Martins, esta sexta-feira, «O plano traçado para 2010-2012 já permite o pagamento de dividendos. O reforço do resultado extraordinário permite antecipar as contas».

COMPARTILHAR