Mapeamento eólico no Alto Alentejo

medicao vento torre anemometrica

No âmbito do RETALER I – Rede Transfronteiriça de Atores Locais, e em consonância com o projecto EoloNAMT, o Município de Castelo de Vide e Gavião instalaram, em Abril e Outubro de 2011, respectivamente, uma estação anemométrica no concelho, encontrando-se desde essas datas a efectuar a caracterização do regime de ventos no local, com base nos dados medidos.

A análise do escoamento atmosférico no concelho de Castelo de Vide durante o período de seis meses, compreendido entre o mês de Abril e Outubro de 2011, permitiu verificar uma velocidade média de 5,4 m/s aos 20 metros e de 6,3 m/s para a altura de 80 metros.

Por seu turno, no concelho de Gavião verifica-se, no mês de Outubro de 2011, uma velocidade média de 4,4 m/s aos 20 metros.

Calcularam-se ainda os mapas referentes às distribuições espaciais da velocidade média fluxo de potência e número de horas equivalentes à potência nominal para o Município de Castelo de Vide, sendo que esta acção será executada brevemente para o Município do Gavião.

A integração destas duas estações anemométricas no mapeamento do potencial eólico do Alto Alentejo consideraram-se fundamentais, na medida em que permitiram a quase totalidade da cobertura dos concelhos da região que apresentam melhores condições para a instalação de parques eólicos.

Refere-se assim que o Mapa Eólico do Alto Alentejo conta já com os dados medidos de 5 estações anemométricas instaladas na região (Castelo de Vide, Gavião, Marvão e Portalegre – Ribeira de Nisa e Alto dos Forninhos).