Luz Verde para Parque Eólico na Serra do Caldeirão em Tavira

O Governo já deu luz verde, em termos ambientais, para a concretização de um parque eólico no concelho de Tavira, com capacidade para produzir energia para mais de trinta mil pessoas, o que representa um investimento de 70 milhões de euros.

Mas o promotor terá de cumprir com exigências de minimização de impactes.

Do conjunto de medidas imposta pela Declaração de Impacte Ambiental (DIA) Favorável Condicionada consta a relocalização de três aerogeradores previstos para o limite da faixa de protecção dos locais de nidificação da águia-de–Bonelli e o afastamento das linhas eléctricas dos limites da zona sensível para aquela espécie ou o seu enterramento.

É determinado ainda um programa de “recuperação das populações de coelho-bravo” na área de influência do parque, bem como “a plantação de sobreiros que, justificadamente, for necessário sacrificar para a correcta implantação do projecto”.

O Parque Eólico de Malhanito ficará localizado na freguesia do Cachopo, na serra do Caldeirão, sendo constituído por 29 aerogeradores, com 97,1 metros de altura.

Para o concelho de Tavira existe ainda o projecto de construção de um outro parque eólico, em Água de Tábuas, na freguesia de Santa Catarina, mas o processo está numa fase mais atrasada.