IBM inventa célula solar mais eficiente e barata

celulas-solares-fotovoltaicas-ibm

O gigante dos computadores IBM inventou uma nova célula solar, mais eficaz e mais barata, que permite fazer painéis fotovoltaicos a partir de materiais que pode encontrar… no seu jardim.

Materiais como o cobre (presente nos fios eléctricos), o zinco (baldes e regadores) ou o enxofre (utilizado nos fósforos) estão na origem da nova célula solar produzida pela IBM, com o objectivo de produzir energia eléctrica a partir do Sol.

Segundo o gigante norte-americano, mais conhecido pela investigação na área dos computadores, a tecnologia demonstra uma eficiência de 9.6% – 40% mais alto do que o valor anteriormente atingido para este conjunto de materiais. “No sentido de atingir o progresso na pesquisa de células solares, a IBM está a alavancar a sua experiência mundialmente reconhecida na tecnologia de microprocessadores, materiais e manufactura”, afirma a multinacional, em comunicado à imprensa.

David Mitzi, líder da equipa da IBM Research que desenvolveu a célula solar, acredita no enorme potencial energético do Sol, desde que devidamente rentabilizado, algo que não aconteceu até agora, fundamentalmente devido ao elevado custo das soluções tecnológicas existentes para a transformação dos raios solares em energia eléctrica.

“Numa determinada hora, mais energia solar atinge a Terra do que aquilo que o planeta inteiro consome num ano, mas as células solares contribuem menos de 0,1% para o fornecimento de electricidade – primeiramente como resultado do custo”, diz o cientista. A investigação dos norte-americanos aponta no sentido da utilização de nanopartículas, em vez das mais generalizadas – mas também mais caras – soluções baseadas em vácuo.

Actualmente, as células solares de filme fino são geralmente feitas de dois componentes raros – seleneto de cobre índio e gálio ou telureto de cádmio, o que eleva os custos de fabrico dos painéis fotovoltaicos. Para além disso, outras tentativas de criação de células solares com matéria-prima mais acessível não têm produzido os resultados desejados, segundo a IBM.

A empresa admite que não planeia manufacturar tecnologias solares, mas está aberta a formar parcerias com outros produtores para desenvolver a tecnologia.