Global Energy Services GES pretende despedir mais de 70% do total de trabalhadores

global-energy-services-ges

A administração da Global Energy Services (GES) informou os representantes sindicais que irá despedir mais de 70% do total de trabalhadores.

Sindicatos e trabalhadores já reagiram e organizaram uma mobilização de protesto na delegação do Governo de Gasteiz, em Bilbao.

Serão 453 os postos de trabalho que terminarão com esta medida da administração. 72% do total de trabalhadores será, portanto, atirado para o desemprego. Para além desta despedida em massa, os trabalhadores que não forem despedidos terão um corte de 5% no salário.

A par desta notícia do corte de 5% do salário circula ainda uma notícia mais devastadora que dá conta que os funcionários que continuarem na empresa poderão ver os seus contratos suspensos em função das necessidades de trabalho ou poderão contar com uma redução do horário de trabalho em 50%, para todos os trabalhadores exceto os da secção da manutenção.

Os trabalhadores da secção de manutenção poderão sofrer uma redução de 15% no horário de trabalho.

A empresa de montagem e manutenção de estruturas eólicas e fotovoltaicas tem várias instalações em Espanha. Com sede em Enekuri (Erandio), a empresa opera ainda na Corunha, Madrid, Cádis e Saragoça.

O sindicato ELA já fez saber que não aceita esta decisão da administração, uma vez que, considera que a empresa é viável. O sindicato ameaçou recorrer a outras instâncias para impedir esta decisão.

Certo é que o futuro da GES é preocupante e a negociação com os credores pode revelar-se crucial. Um plano viável capaz de sarar as dívidas e que renove a esperança da empresa é ansiado por todos, ainda que nem todos tenham esperança de conseguir chegar a bom porto, isto é, de conseguir salvar a empresa da falência.

A GES conta atualmente com 629 trabalhadores. 160 trabalham atualmente na sede da A administração da Global Energy Services (GES).

O protesto dos trabalhadores fez-se com o intuito de exigirem a defesa dos postos de trabalho e melhores condições laborais.

COMPARTILHAR