Fabrico e importação de lâmpadas tradicionais proibidas

lampadas incandescentes

O fabrico e importação de lâmpadas standard tradicionais, conhecidas como lâmpadas incandescentes, são proibidos em todos os países da União Europeia (UE) depois de sexta-feira.

Segundo um comunicado divulgado hoje, “logo que se tenha esgotado o stock existente de lâmpadas incandescentes, os consumidores deverão escolher entre alternativas de iluminação de baixo consumo como, por exemplo, os LEDs (Díodos Emissores de Luz) que oferecem uma poupança de energia que pode ir até 85 por cento”.

Atualmente, o consumo com a iluminação representa 19 por cento da produção global de eletricidade.

Uma mudança total para iluminação LED poderia reduzir o consumo energético para iluminação a nível mundial em 40 por cento, e reduzir os custos atuais em aproximadamente 130 biliões de euros.

Isto evitaria a libertação para a atmosfera de 670 milhões de toneladas anuais de dióxido de carbono, de acordo com o Climate Group, “número aproximadamente equivalente ao nível de emissões de CO2 gerado por todos os aviões que voaram no mundo em 2011”.