Cientistas estão à beira de uma revolução na energia eólica

energia-eolica-offshore-noite

Especialistas russos desenvolveram novas turbinas marítimas que podem vir a revolucionar a energia eólica.

A “inconstância ventosa” do clima deixou de ser um problema. Novos geradores eólicos com um eixo vertical de rotação se tornarão o cotidiano comum, estão convencidos os cientistas.

O vento é uma fonte de energia renovável, e suas possibilidades são aparentemente intermináveis. De qualquer forma, em muitos países do mundo aprenderam a usá-las de forma eficaz. Em algumas regiões da Alemanha, por exemplo, até 40% da energia são produzidos por turbinas eólicas.

No entanto, a energia eólica não está avançando. As razões para isso são simples: o custo da energia eólica é alto e os riscos ambientais de infrassons são bastante grandes. Finalmente, o próprio clima é inconstante e, portanto, não podemos apostar inteiramente em turbinas eólicas.

Cientistas de Vladivostok, uma cidade na costa russa do Pacífico, propuseram uma nova solução tecnológica. Ela vai permitir evitar uma série de problemas da energia eólica.

A maioria das turbinas eólicas têm um eixo localizado no plano horizontal. Isso permite aumentar a sua eficiência e posicionar a turbina muito acima do chão, onde o vento é mais forte. A alternativa é um eixo vertical, quando a turbina roda como um carrossel, perto do solo.

Anteriormente, isso era considerado irracional porque o vento é fraco perto do solo, e a produção de energia pela turbina diminui em proporção à velocidade do vento. No entanto, o docente da cadeira de tecnologias de produção industrial da Universidade Federal do Extremo Oriente Viktor Cheboksarov e seus colegas propõem justamente uma estrutura assim, tentando contornar suas deficiências.

O segredo está na escolha do local de instalação do gerador. Cientistas de Vladivostok propuseram colocá-los no mar: isso ajudará aumentar a potência dos dispositivos modernos em 10 vezes ou mais. “As novas estruturas ganham vantagem graças ao seu posicionamento acima da superfície do mar, onde o vento é mais forte e mais estável,” disse Viktor Cheboksarov.

energia-eolica-offshore

“Toda a turbina eólica dos especialistas do Extremo Oriente é segurada por um pontão. Sua estabilidade horizontal é garantida por âncoras no fundo do mar. No centro da estrutura, acima da água, há uma pequena torre ao torno da qual gira lentamente um rotor com pás. A energia é transmitida através de hastes para o eixo central ligado a um gerador. “É como uma cadeia enrolada de iates onde as pás são velas,” diz Cheboksarov.

“O diâmetro de uma instalação típica de 10 MW, será de cerca de 200 metros, e a envergadura das pás será de cerca de 40 metros. Para a nossa estrutura não existem restrições tecnológicas sobre potência. É possível, por exemplo, criar uma turbina eólica com uma potência de 100 MW,” diz o cientista.

A invenção poderá ser usada para fornecer energia a aldeias costeiras remotas. A nova tecnologia permite também resolver o problema do transporte. As novas estruturas podem ser rebocadas por mar. Ao contrário das versões clássicas, não há necessidade de aumentar o suporte da estrutura com o aumento de sua capacidade, porque ela é suportada pela água.

A invenção russa já foi testada e recebeu 17 patentes no país. O próximo passo é uma patente internacional. Agora, o dispositivo dos cientistas de Vladivostok está sendo verificado por especialistas em vários países.

COMPARTILHAR