Chernobyl poderá ser um dos maiores pontos de produção de energia solar

chernobyl-energia-solar

O desastre de Chernobyl poderá muito em breve ganhar uma nova vida. Um grupo de ministros ucranianos está a divulgar uma apresentação aos maiores bancos do país e europeus para demonstrar como os terrenos de Chernobyl poderão vir a ser um dos maiores pontos de produção de energia solar.

Os seis mil hectares de zona perigosa, onde não é possível viver nem cultivar têm uma boa exposição solar e constituem terra com um valor monetário muito reduzido tornando-se atrativas para a produção de biogás e a colocação de painéis fotovoltaicos e fototérmicos.

O governo ucraniano defende que podem ser gerados mais de 1000W de energia solar e mais de 400MW de outras energias renováveis.

O desastre de Chernobyl, que decorreu há 30 anos, constitui uma zona com uma exposição solar semelhante à registada no sul da Alemanha e conta já com infraestruturas elétricas (da central nuclear) em condições de serem usadas. São, portanto, vantagens que poderão levar os bancos a responder de forma positiva.

O Banco Europeu para a Reconstrução e Desenvolvimento já se pronunciou e mostrou estar eventualmente disponível para emprestar dinheiro para o plano de produção de energia limpa.

Todas as normas e leis para a proteção contra a radiação serão respeitadas mas não se conhece para já a localização exata dos painéis.

Empresas dos Estados Unidos da América e Canadá estão também em negociações para projetos de produção de energia solar, de acordo com o Ministro da Ecologia Ucraniano, em declarações prestadas numa entrevista ao The Independent.

Video 30 anos após Chernobyl

Quando o desastre de Chernobyk aconteceu milhares de pessoas foram retiradas da Ucrânia, sul da Rússia e da Bielorrússia. Atualmente na Bielorrússia, a cerca de 20 quilómetros de Chernobyl está em construção um projeto com contornos semelhantes.

A dúvida é se é seguro construir um parque solar numa zona ainda perigosa. Falamos claro se é seguro para os trabalhadores. É que os isótopos de plutónio podem durar mais de 24 mil anos. Mesmo face à dúvida há a certeza de que se o projeto avançar Chernobyl será a maior fornecedora de energias renováveis no mundo.

Uma lei que poderá permitir o avanço do projeto na região passou já por uma primeira aprovação no Parlamento ucraniano em junho passado.

A Ucrânia pretende até 2020 obter 11% da energia a partir de energias renováveis. Neste momento, o país tem apenas 1 gigawatt de energia instalada mas pretende construir 34 centrais no país este ano de forma a conseguir cumprir os seus objetivos.

Saiba mais sobre os acidentes históricos relacionados com a Energia Nuclear desde Chernobyl até Fukushima.

COMPARTILHAR