Célula solar plástica tem aumento de eficiência de 30%

celulas-solares-fotovoltaicas

Células solares orgânicas e flexíveis

Pesquisadores canadienses descobriram uma nova forma de unir as diversas partes de uma célula solar orgânica, o que fez seu rendimento aumentar em 30%.

Estas células solares flexíveis ainda têm uma eficiência baixa, mas o ritmo de descobertas e avanços na área torna possível prever que elas logo se tornarão superiores às células solares fotovoltaicas tradicionais.

O desenvolvimento de células solares plásticas – também chamadas de orgânicas, flexíveis ou híbridas – que possam ser produzidas em massa a baixo custo, tem atraído a atenção de pesquisadores do mundo todo, o que pode explicar o ritmo de desenvolvimento que vem marcando esta área de pesquisas nos últimos anos.

.

Sanduíche solar

As células solares plásticas são feitas de camadas de diferentes materiais, cada uma delas com uma função específica, em uma estrutura parecida com um sanduíche.

“Uma camada absorve a luz, outra ajuda a gerar a eletricidade, enquanto outras ajudam a levar a eletricidade para fora da célula. Normalmente as camadas não grudam bem umas nas outras e, desta forma, a eletricidade acaba presa dentro do dispositivo e não fica disponível para uso, levando a dispositivos ineficientes,” explica a Dra. Jillian Buriak, da Universidade de Alberta.

“Nós estamos trabalhando na maionese, na mostarda, na manteiga e em outros ‘molhos especiais’ capazes de manter esse sanduíche unido e fazer todas as camadas funcionarem bem em conjunto. Isto está fazendo um sanduíche melhor, no nosso caso, uma célula solar melhor,” diz a pesquisadora.

.

O futuro pertence ao plástico

A receita de uma célula solar melhor, que agora demonstrou um aumento de eficiência de 30%, já consumiu dois anos de trabalho de uma equipa interdisciplinar que reúne engenheiros, físicos e químicos.

A Dra. Buriak estima que ainda serão necessários de 5 a 7 anos de pesquisas para que os painéis solares plásticos possam ser produzidos em massa a custos competitivos.

Mas, quando isso acontecer, diz a pesquisadora, a energia solar estará disponível para todo o mundo. “A próxima geração da energia solar pertence ao plástico,” conclui ela.