Avião Solar Impulse 2 movido a energia solar completou volta ao mundo

solar-impulse-2-aviao-energia-solar

O Solar Impulse 2 é o primeiro avião movido a energia solar completou a sua primordial volta ao mundo. Foi no fim de Julho e o local de aterragem do Solar Impulse 2 foi em Abu Dhabi, capital dos Emirados Árabes Unidos.

O primeiro avião do mundo movido apenas com recurso a energias renováveis tinha iniciado a volta ao mundo em março de 2015 em Abu Dhabi e terminou-a no mesmo ponto quando o relógio marcava 04h05, hora local (01h05 em Lisboa).

Relembramos que a versão anterior o protótipo Solar Impulse 1 teve problemas no seu primeiro voo experimental decorria o ano de 2011.

Foram mais de 40 mil quilómetros percorridos graças a esta energia limpa.

Com uma envergadura mais ampla que um Boeing 747, o Solar Impulse 2 alojou nas suas asas mais de 17 mil células fotovoltaicas capazes de transformar a energia do sol.

Durante o dia, os painéis solares, que correspondiam a um quarto das 2,3 toneladas de peso total do aparelho, carregavam as baterias do avião e permitiram ao Solar Impulse 2 atingir uma velocidade de quase 50 km/h.

A velocidade podia ser superior e acabou mesmo por chegar aos 100 km/h mas estava dependente da intensidade da energia solar. À noite a velocidade era menos acentuada de forma a poupar energia.

Avião Solar Impulse 2 - Diagrama
Avião Solar Impulse 2 – Diagrama

Os pilotos subiam 29 mil pés durante o dia e desciam até aos 5 mil pés durante a noite de forma a conservar a energia durante toda a viagem.

O Solar Impulse 2 começou a ser construído em 2011 e a sua conclusão estava prevista para 2013 mas uma falha estrutural levou ao prolongamento dos trabalhos e, por isso, só em 2015 foi possível obter luz verde para percorrer todo o globo.

A aeronave foi programada e um centro de controlo foi criado no Mónaco de forma a permanecer em constante contacto com a equipa constituída por dois pilotos e receber a telemetria em tempo real. A viagem fez-se num total de 17 etapas.

O Solar Impulse 2 é um projeto de aviação solar promovido por Bertrand Piccard e estudado na Escola Politécnica Federal de Lausana (EPFL), na Suiça.

A aeronave que sucedeu ao Solar Impulse 1 é um modelo de dois lugares, ao contrário do Solar Impulse 1 que tinha somente um lugar e permitiu perfazer 43.041 horas de voo. Conseguiu o seu objetivo maior – promover o uso de energias renováveis numa perspetiva de conseguir um futuro mais limpo.

Esta volta ao mundo é histórica para o mercado emergente das energias renováveis e para o mundo da aviação. Há uns atrás pensar em dar a volta ao mundo sem recorrer a energias fósseis era uma ideia certamente descabida para muitos.

COMPARTILHAR