Americanos prometem revolução energética com cubo Bloom Box Fuel Cell

Revolução Energética com Cubo Bloom Box Fuel Cell

A empresa norte-americana Bloom Energy apresentou recentemente ao mercado a Bloom Box, uma pequena caixa que promete revolucionar o fornecimento de energia. Se a promessa for cumprida, este aparelho em forma de cubo que cabe numa mão vai permitir que cada casa passe a ter uma mini-central eléctrica.

A Bloom Energy foi apresentada há pouco tempo nos Estados Unidos, depois de oito anos de investigação em segredo. O projecto exigiu um investimento de cerca de 400 milhões de dólares e garante que o fornecimento de energia para uma casa europeia tem a forma de cubo e cabe numa mão.

K.R. Sridar, dono da empresa, assegura que é possível que cada casa particular passe a ter uma mini-central eléctrica, o que representa uma autêntica revolução no mundo da energia.

Numa entrevista exclusiva à estação CBS, Sridar explicou que estas pilhas de combustível são feitas de areia da praia, que é cozida até formar um pequeno quadrado cerâmico extremamente fino e pequeno. Duas substâncias que Sridar não quis revelar revestem por fim o aparelho.

O resultado final faz lembrar as antigas disquetes e quantas mais placas destas se empilharem, maior é a produção de electricidade. Sessenta chegam para um restaurante.

A juntar a estas pilhas, há o combustível. Até agora usava-se hidrogénio, mas a grande novidade da Bloom Energy é que até o gás ou painéis solares podem ser usados.

Bloom Box Energy Funcionamento

VEJA AQUI O DATASHEET DA BLOOM BOX FUEL CELL

Antes de chegar às casas e às lojas, a transformação começa pelas grandes empresas. A Google foi a primeira a querer experimentar. Outros clientes da Bloom Energy são a coca-cola, a Walmart, a maior cadeia de supermercados nos Estados Unidos e o Ebay. Este último, como admite o administrador da empresa, nos relvados da sede já tem cinco servidores de energia. No telhado estão painéis solares, mas a energia produzida pela Bloom «chega e sobra».

Sridar acredita que dentro de dez anos, estas pilhas a combustível chegam às casas americanas. A Bloom Energy espera vendê-las a três mil dólares e os aparelhos duram uma vida inteira.