Açores destacam-se a nível nacional na Geotermia

Central Geotermica Piloto do Pico Vermelho

Na ilha de S. Miguel, por exemplo, estão instalados dois aproveitamentos no Campo Geotérmico da Ribeira Grande: a Central Geotérmica da Ribeira Grande, com uma potência de 13MW (de 1994), e a Central Geotérmica do Pico Vermelho, com uma capacidade produtiva de 10MW (de 2006), cuja produção combinada contribuiu, em 2008, com cerca de 40 por cento na estrutura de produção daquela ilha.

As centrais em exploração são pertença da Sogeo, empresa detida maioritariamente pela Electricidade dos Açores (EDA), cuja actividade está centrada no aproveitamento dos recursos geotérmicos tendo em vista a produção da eléctrica na ilha de S. Miguel.

No sentido de maximizar o aproveitamento do potencial geotérmico da Ribeira Grande, a Sogeo prevê desenvolver em 2009 uma campanha de execução de sete sondagens profundas, tendo em vista a saturação da Central da Ribeira Grande e a expansão da Central do Pico Vermelho.

Já na Ilha Terceira, a Geoterceira, empresa detida pela EDA e pela EDP, desenvolve o Projecto Geotérmico da Terceira, que compreende a execução dos poços de produção e de reinjecção e a construção de uma central geotérmica de 12 MW.

Com a entrada em exploração desta central, prevista para o final de 2011, estima-se que esta fonte de energia contribuirá, no ano seguinte, em 38 por cento na estrutura de produção da ilha.

Segundo refere a mesma fonte, para além dos benefícios de índole ambiental e de uma poupança anual de cerca de 40 mil toneladas de combustível derivado do petróleo, a produção geotérmica ao nível do arquipélago contribui com 21 por cento na estrutura de produção, o que somado à produção hídrica e eólica, proporciona uma autonomia energética de cerca 27 por cento, factos que demonstram a importância que o aproveitamento da energia geotérmica tem na economia dos Açores».